Aos artistas, arteiros e artesãos desse Ceará fervoroso, aos poetas visuais, dançarinos sonoros, músicos performáticos, pintores bailantes, ativistas sinestésicos e comunidade sensível em geral, convocamos todos a se manifestarem! O 4º ManiFesta! Festival das Artes acontecerá no dia 07 de dezembro de 2013 com várias novidades.

O ManiFesta! Festival das Artes é um festival de arte autoral cearense que se propõe a dialogar com todas as diferentes linguagens artísticas, apresentando shows de musica, teatro, dança, poesia, cinema, intervenções, performances, exposições de artes visuais, instalações, projeções de videos e fotos. Todas as apresentações acontecem gratuitamente em diferentes pontos da cidade.

Este ano estaremos expandindo tempo e espaço. Depois de tanto ser chamado de virada cultural, o ManiFesta! resolveu enfim assumir este desafio e a partir deste ano o festival terá 24 horas consecutivas de duração! Além disso, vamos ocupar mais alguns locais da cidade: Passeio Público, Estoril, Praia de Iracema, Caixa Cultural, SESC Iracema, ruas e praças dos arredores, além de todos os outros espaços que já utilizávamos do Dragão do Mar, incluindo também a nova sala de cinema. Tá tudo dominado!

Em compensação, como resultado de tanta expansão, tomamos uma decisão. Devido à dificuldade sempre existente de captação de recursos, de produção e logística, decidimos passar a realizar o ManiFesta de forma bienal. Visualizamos também que essa é uma possibilidade de dar tempo pros  artistas se reciclarem, a fim de gerar e maturar novas obras e criações. Afinal não são todos que produzem um espetáculo inédito ou lançam um disco por ano…

Outra novidade é que no dia do festival estará rodando pela cidade o “BondeFesta” um ônibus-instalação-itinerante-performático-interativo, que dará carona para quem quiser, possibilitando o público circular livremente pelos espaços. Vamos propôr também ações coletivas vivas, com participação direta do público. Vamos ocupar, nos apropriar e intervir na nossa cidade, que nesse momento de tanta destruição e arbitrariedade, está necessitada de fato de beleza e arte. Se somos a revolução viva através da nossa manifestação artística, que expressemos o que se faz necessário. Estamos aqui pra soltar a faísca essencial e incendiar o conformismo dos que já se renderam.

Para aqueles que não se identificam ou não se enquadram nos editais tradicionais de ocupação, estamos na busca de dissolver os formatos, as classificações, para criar obras poligêneros, multicoloridas e transrraciais, contemplando todas as preferências religiosas, políticas e sexuais. Incentivamos a promiscuidade entre as linguagens, de forma a hibridizar nossa arte para fazer uma salada mista sui generis, a fim de dissolver esse paradigma das “categorias ou segmentos artísticos”.

Provocamos os artistas, duos, coletivos, grupos, bandas e companhias que realizem arte autoral no Ceará a inscrever suas propostas para o 4º ManiFesta! Festival das Artes. Para isto, leia a Provocatória e preencha a ficha de inscrição, sugerindo um local onde deseja apresentar sua arte. A proposta será analisada podendo ser selecionada para se apresentar neste local, ou não. Em caso de incompatibilidade, a organização do festival apresentará opções dentro das possibilidades, até obter um consenso entre o artista e a produção do evento. Também é possível deixar o local em aberto para que a coordenação de programação do ManiFesta! sugira onde pode ser mais adequado para sua apresentação/exibição/ exposição.

O prazo de inscrição foi prorrogado até dia 01 de novembro. Os resultados serão divulgados pelo site (manifestafestival.art.br) e por e-mail para os selecionados até o dia 15 de novembro.

 

captura032Inspirado no movimento Massafeira Livre, que aconteceu no Theatro José de Alencar (TJA) em 1979, surgiu o primeiro ManiFesta! Festival das Artes, que aconteceu em setembro de 2010, como uma maratona cultural com 12 horas consecutivas de duração. Durante o evento, todos os espaços do TJA foram ocupados por mais de 350 artistas cearenses atuantes na cena cultural contemporânea e um público de cinco mil pessoas circulando no teatro durante toda a noite até de manhã. Além de todas as atrações, durante o evento foi lançado o Livro e CD Massafeira 30 Anos – Som Imagem Movimento Gente, o que favoreceu um significativo encontro de gerações, onde novos artistas tiveram a oportunidade de compartilhar o palco com grandes nomes nacionais, tais como Ednardo, Rodger Rogério, Rosemberg Cariry, Gentil Barreira, dentre outros.

Em sua 2ª edição, o festival migrou para o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e reafirmou seu conceito, como um festival que apresenta exclusivamente arte autoral cearense e trabalha essencialmente com a transversalidade entre as linguagens. Manteve seu formato de “maratona cultural” com 12 horas de duração, mas dessa vez apresentou 430 artistas,  ocupou 10 espaços simultâneamente e envolveu um público de mais de 10 mil pessoas durante toda a noite.

captura033Em sua 3ª edição o festival manteve o propósito de evidenciar as diversas vertentes de manifestações artísticas através de sua expressão autoral no Ceará. O festival se manteve no Centro Dragão do Mar, desta vez apresentando 680 artistas para um público de mais de 10 mil pessoas. O artista cearense homenageado foi o cineasta e poeta Rosemberg Cariry. Foram oferecidas gratuitamente 3 oficinas e 4 debates.

O ator, diretor, dramaturgo e professor Ricardo Guilherme é nosso homenageado do ano!

Guilherme é, sem dúvida, um artista por excelência, um verdadeiro homem de teatro, pelo seu mérito intelectual e sobretudo pelo significado que tem conseguido imprimir à sua criatividade. (Millôr Fernandes, escritor – Rio de Janeiro/RJ, l985)

Ricardo Guilherme revela as suas potencialidades vocais com uma gama de recursos cada vez mais rara nos atores brasileiros. (Macksen Luiz, crítico teatral, Jornal do Brasil – Rio de Janeiro/RJ, l982)

 

Dificilmente se poderá deixar de aplaudir esse imenso saber que permite a Ricardo Guilherme transformar o seu corpo numa tão bela oficina teatral. Sua criação ficará como referência indispensável ao estudo do trabalho do ator em Portugal. (Carlos Porto, crítico teatral, Diário de Lisboa – Lisboa/Portugal, l984)

Ricardo Guilherme, ator brasileiro de extraordinárias qualidades, dotado de grande vitalidade. Sua direção é uma lição de coerência interna. (Arnoldo Mora, crítico teatral, Reflexion – San José/ Costa Rica, 1987)

Não há espectador – por mais embrutecido, cínico ou insensível que seja – que não se toque com a carga emocional de Ricardo Guilherme. Seu trabalho é cerebral e instigante. (Jaguar, escritor, O Pasquim – Rio de Janeiro/RJ, 1982)

O desempenho de R. Guilherme rompe a barreira dos idiomas. (Jorge Luis Carrigan, crítico teatral, Jornal do Festival de La Habana – Havana/Cuba, 1987)

Ricardo dá uma lição admirável de interpretação na qual a sua voz é utilizada com uma gama riquíssima de matizes e a expressão corporal é desenvolvida plenamente e com uma aparência admirável de ausência de esforço. (Carlos Miguel Suarez Radillo, crítico teatral – Madri/Espanha, 1984)

Ricardo é um acontecimento teatral de alto nível. (Lia Salvarani, jornalista, La Reppublica – Roma/Itália, 1984)

Ricardo Guilherme consegue o prodígio de manter os espectadores pendentes de cada um dos seus gestos e palavras. (José Mena Abrantes, crítico teatral, Jornal de Angola – Luanda/ Angola, 1989)

O trabalho de voz e de corpo de Ricardo Guilherme explora os contrastes com muito vigor. (Eugênio Barba, diretor do Grupo Odin Theatet – Fortaleza/CE, 1991)

Ricardo tem um forte domínio de palco e aquela qualidade natural que poucos dominam: o emprego adequado da palavra. (Eliézer Rodrigues, crítico teatral, Diário do Nordeste – Fortaleza/CE, 1991)

Ricardo é pura emoção no palco. É vitalidade, transgressão. (Carmen Moretzson, jornalista, Jornal de Brasília – Brasília/DF, 1991)

Sua criação é originalíssima. Ricardo Guilherme é hoje um dos mais respeitados nomes do teatro brasileiro. (Aramis Millarch, crítico teatral, O Estado do Paraná – Curitiba/PR, 1991)

Ricardo Guilherme, em seus trabalhos, dá uma poderosa demonstração de criatividade e se revela como um homem de teatro que alia ética e estética. (Aderbal Freire-Filho, diretor de teatro e dramaturgo – Rio de Janeiro/RJ, 1992)

Ricardo Guilherme constrói um máximo de ações com um mínimo de recursos cênicos. (…) O tempo se dilata na obra dele como parece se dilatar nele mesmo. (…) Poeta dos palcos, Ricardo Guilherme é um ser sem gerações e um ser de cem gerações. (Magela Lima, Diário do Nordeste maio/2008)

A interpretação de Ricardo Guilherme é internacional e pop, mas é também pessoal e regional até a ponta da raiz. (…) Ricardo Guilherme é um Deus. Não um Deus onisciente nem onipotente. Um Deus humano, demasiadamente humano. Portanto, um Deus que toca. Vendo Ricardo Guilherme divinamente em cena, sua presença divina incinera quem tem coragem de olhar na face do Ser Superior em que ele se transmuta. (Cícero Teixeira Lopes, ator – 2008)

Ricardo Guilherme é a melhor companhia pra se conversar sobre qualquer coisa e ainda é dono do melhor abraço do mundo. (Daniela de Lavor, atriz – 2008)

Ricardo Guilherme é sozinho um bar cheio de inumeráveis poetas. Da estirpe aguda de um Vinicius, melhora a vida. Da ternura nostálgica de um Drumond, melhora a história (dos outros, que a dele não precisa). Da natureza depurada de um Nelson, melhora a piada. Taí uma boa coisa pro sujeito ter como meta: merecer Ricardo Guilherme. (Paulo Roberto Viana Júnior – 2006)

Ricardo Guilherme, de olhos arregalados, mira a alma das pessoas querendo apossar-se da presença delas como um afogado antes de submergir. RG é gente querendo gente e querendo sempre mais e mais e mais. (Rosana Rodrigues, atriz – 2006)

Eu não me sinto à vontade em escrever sobre Ricardo Guilherme. Assim como não me sentiria à vontade se encontrasse Renoir ou Mário de Andrade ou Charles Chaplin ou Paulo Autran. RG carrega em seu nome muito mais do que uma identidade de sexo masculino, natural do Ceará, professor etc. RG é institucional para mim. (Kelva Cristina, atriz – 2008)

Eis um diálogo que tive dia desses com Deus: – Senhor, bati tanto em tua porta e tu não abriste. Bati pela manhã e tu estavas a dormir. À tarde, tu estavas a pensar. E à noite, simplesmente tu não estavas. – Filho, em que porta bateste ? – Naquela, Senhor, defronte à praça. – Mas, meu filho, ali é a Igreja. Eu não estava lá. Eu estava no Teatro. E, então, o Todo-Poderoso apontou o local onde representava Ricardo Guilherme. (Chicão Oliveira, ator, militante político – 04 de março de 2008)

Todo teatro deveria ter um espaço chamado Ricardo Guilherme (Bárbara Castelo Branco, psicóloga)

Ricardo Guilherme: ô homem bom pra escrever bem (Neidinha Castelo Branco, atriz)

Ricardo Guilherme é uma obra-prima que faz obras-primas. (Maria Vitória, atriz, dramaturga)

Ricardo Guilherme é capaz de surpreender antes mesmo de ser entendido (Antônio José Sarubby, ator, compositor)

RICARDO GUILHERME (Fortaleza,1955) Ator, dramaturgo e diretor teatral, com uma teatrografia de mais de cem espetáculos realizados, em quarenta e três anos de atividade, numa trajetória nacional e internacional, em que figuram temporadas em países da Europa, África e das Américas, além de prêmios como o concedido em 1987 pela UNESCO. . Professor da Universidade Federal do Ceará (desde 1979) oriundo do Curso de Arte Dramática, com experiência de ensino em diversas universidades da Europa, da África, da América Central e da América do Norte. . Um dos autores do projeto de criação da Licenciatura em Teatro da Universidade Federal do Ceará (2009). . Representante do Brasil em inúmeros festivais mundiais de teatro e congressos internacionais de encenação e dramaturgia. . Especialista em Comunicação Social e em Arte-Educação, reconhecido como Notório Saber em cursos de pós-graduação da Universidade Federal da Paraíba e Universidade Nacional de Brasília. Historiador, com livros sobre a história do teatro cearense, premiado pelo Ministério da Cultura, nos anos 1970, por seu trabalho de pesquisador. . Contista, cronista, poeta, com obra publicada pela Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, Fundação Cultural de Fortaleza e Fundação Demócrito Rocha. . Jornalista desde 1978, com reportagens premiadas pela Fundação Nacional de Artes Cênicas. . Fundador do Grupo Pesquisa (1978) e um dos integrantes da equipe fundadora da Televisão Educativa do Ceará (hoje TVC) e da Rádio Universitária. . Produtor TV Ceará Canal 5, onde apresenta o programa Diálogo. . Roteirista de cinema e TV. Ex-vice-presidente da Federação Estadual de Teatro. Criador do Museu Cearense de Teatro (1975, atual Doc Teatro Acervo Ricardo Guilherme da Universidade Federal do Ceará) e organizador do Museu dos Teatros de Estudantes do Brasil, criado por Paschoal Carlos Magno (Rio de Janeiro/1977). . Ex-Professor de Dramaturgia do Colégio de Dramaturgia e do Colégio de Realizadores, mantidos pelo Instituto Dragão do Mar de Arte e Cultura . Formulador da teoria e do método do Teatro Radical Brasileiro (1988), objeto de pesquisa de mestrados (UFC e UNI-Rio) e doutorado (UFMG).

.


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/manifest/public_html/wp-content/themes/twentythirteen/flickr.php on line 12
Percursos BondeFesta!
Postado em 5 de dezembro de 2013

O BondeFesta! é uma das novidades do festival este ano. Estará rodando pela cidade um ônibus-instalação-itinerante-performático-interativo, que dará carona para nosso público, possibilitando a livre circulação pelos espaços ocupados pelo ManiFesta! O trocador será substituído pelo tocador, tendo como convidados os DJs Jânio Florêncio, Ivan Timbó, DJ Famoso e Glauco, soltando a Bomba no Buzum! Além de várias performances e muito movimento!

Serão três percursos circulares cada um com um horário de início e de fim. A localização exata de onde estará passando o BondeFesta será informada e atualizada em tempo real pela nossa página no facebook: www.facebook.com/ManifestaFestivaldasArtes

Confira aqui pra não perder o bonde!

1. Percurso Matinal:
Saindo do Dragão do Mar, passando pelas Av. Dom Manuel, Av. Domingos Olimpio, Rua Senador Pompeu, Av. 13 de Maio, chegando na Gentilândia pra levar o povo pela Av. da Universidade, até o Passeio Público, voltando para o Dragão do Mar.
Captura de tela 2013-12-05 às 08.50.53

2. Rolé da tarde até o pôr do sol:
Saindo do Dragão do Mar, Rua dos Tabajaras, Av. Beira Mar, Av Hist. Raimundo Girão, seguindo pela Av. Beira Mar até perto do Mucuripe, voltando pela Av da Abolição, pegando a beira da praia até voltar pela rua da Caixa Cultural, para curtir um lindo por do sol na Ponte Velha!
Captura de tela 2013-12-05 às 08.53.25

3. Giro da noite – Festa no Bonde!:
Saindo do Dragão do Mar, passando pela Pereira Filgueiras, Av. da Abolição, até o Terminal do Papicú, voltando pela Dom Luis, Desembargador Moreira, Pontes Vieira, Soriano Albuquerque, Visconde do Rio Branco e Dom Manuel, até chegar ao Dragão novamente, em festa!
Captura de tela 2013-12-05 às 09.58.13

Simbora, meu povo!

Selecionados
Postado em 15 de novembro de 2013

Salve salve, manifestantes!
Após um período de imersão total nas mais de 300 inscrições recebidas, publicamos aqui a lista dos selecionados para o 4º ManiFesta! Festival das Artes. O festival sempre teve caráter inclusivo e segue com o propósito de abraçar o máximo de apresentações possível, mas apesar da duração estendida do evento e da multiplicidade dos espaços, 24 horas é um tempo limitado. Nossos curadores tiveram que fazer uma seleção criteriosa, principalmente na área de shows musicais. Foram levados em consideração a qualidade artística, autenticidade da proposta e ousadia no hibridismo de linguagens. Existem algumas propostas que foram selecionados para esta edição, que já se apresentaram em anos anteriores, mas aparecem agora com novos trabalhos, afirmando sua evolução e desenvolvimento na carreira artística. Para quem não foi selecionado, bola pra frente! Venha curtir o festival e se inscreva novamente na próxima edição, que pode ser o tempo ideal para que seu trabalho conquiste seu espaço merecido.

NOME ARTÍSTICO NOME DA PROPOSTA
#Corpóreos Mandala
Água de Quartinha Show Água de Quartinha
Água Dança Teatro Outonar
Airton Lima CristoZé e Os Últimos Profanos
Airton Uchoa Neto Memorial da Lagoa do Urubu Encantado
Aldo Marcozzi A arte milenar da Yoga
Allysson Dos Anjos Vibe
Ana Carla de Souza Pedras Portuguesas
Anderson Camelo Trio Anderson Camelo Trio
André Moura Lopes Não se pode ficar com dois amores
André Sehn Arte tambores
Anelice Custódio Nelli presentes
Antonio Viana Baculejo ou poesia de bolso
Aondê Cadernos Artesanais Venda de cadernos artesanais
Apo Pádua Venda de produtos artísticos autorais
Arice Morais Show ” Cortejo Poético Sonoro”
Arte Vinil Artesania Arte vinil
Artur Dória Mota Poemas Cruzados
Astronauta Marinho Fartozalê
Banda Água Ardente Blues Banda Água Ardente Blues
Banda Soulzen Banda Soulzen
Ben`kelé e Lii Manifeste-se, faça um zine!
Berg Menezes e Os Coadjuvantes Futuragora
Bonilas Fastio
Caio Castelo Nuvens
Caixinha Do Vitório Arte têxtil autoral
Camarim Cinema de Ator SP70
Canela Fina Operários da Cultura
Capotes Pretos na Terra Marfim A Casa – Capotes Pretos na Terra Marfim
Caravana Tragos Seca Flor
Carlinhos Nação Carlinhos Nação – Reggae
Célio Celestino, Paloma Pajarito, Gutto Moreira, Fenelon Neto Compra Aí!
Chacomdéga Chacomdéga
Cia Teatrinho de Palhaços e Brincadeiras Chaplin: Aventuras desventuras
Cia Teatro Mosca Woyzeck
Cia. Flor de Ayo Abstammung
Cíntia Viana Dona Coisa
Clara Bastos, Victor Costa Lopes, Tarcísio Rocha Filho Cidade Postal
Cleomir Alencar Mobiale
Clownciência Artroca
Cocaine Cobras Cocaine Cobras
Coisas Nossas – Escrever Imagens O Centro invisivel – fotografia ou enquadros
Coisas Nossas – Escrever Imagens O centro invisivel – video instalação
Coletivo AcquaNon Censo
Coletivo Camaradas Registros performaticos
Coletivo de “Loa” Loa
Coletivo Encruzilhada A Serenata
Coletivo Experimentus Ostinato
Coletivo Fuleragem Diague Viado
Coletivo Gerimoon Eroticotidiano – Quadros de Amor pela Cidade
Coletivo Hambre El hambre me consume
Coletivo Independente #cocacolaheinermuller
Coletivo Mulheres Mulheres Sobre a Paixão
Coletivo Provocações culturais! CineDesbunde apresenta: Mostra Poeticagem – Uma homenagem ao Poeta Mário Gomes
Coletivo Provocações culturais! Oficina de Ritmos de Batuques de Maracatus Cearenses
Coletivo Quem? Sob(re) Efeito
Coletivo Senara Longe de Casa
Coletivo Tembiú Lançamento do novo website Tembiú – Alimento de Alma
Coletivo Toren Vegetalanche
Companhia de Theatro Arcádia Andarilhos
Companhia Pã de Teatro Noiada
Confraria do som Ê vida bôa!
[HÁ]2 [EN]LINHAS
DJ Darwin DJ Darwin
Dj Famoso Dj Famoso
Dj Glauco Dj Glauco
Dj Ivan Timbó Dj Ivan Timbó
DanChá DanChá
Dario Ferreira de Albuquerque Tentativas Para Parar o Tempo
Dario Ferreira de Albuquerque Souvenir
Dario Ferreira de Albuquerque Intento
David Ávila David Ávila
Dayana Nascimento
Del Brando Bhakti Sabiaguaba
Descendentes da Índia Piaba Carimbó Invadere Erit Mundus
Descoletivo Mostra Repertório Descoletivo
Descoletivo Deslocamentos
Dilly Rascunha-me
Dois Africanos Primeiro Passo – Encontro entre dois mundos irmãos
Eden Barbosa Oficina Cafennol – Revelando filmes PB com café
Eden loro Aves livres
Edivaldo Ferrer A isca
Efeitos visuais Arte em camisas
Emanuel Souza da Silva e Antônio Geovane Queiroz A realidade grotesca e a esperança entre as lendas
EmFoco Grupo de Teatro Acontecências
Érika Lopes da Silva Camiseteria da Érika
Erivan Produtos do Morro Erivan Produtos do Morro e Banda
Espinho e Fulô Artigos em Couro
Expedito Oliveira Ramos Para quê C.F.?
Fabiana Brogliato Oficina Origami
Felipe Acácio Menino corredor e Assim, pois, eu
Fidelity Produções e Imagens RuArte
Francilangela Clarindo Variedades Poéticas
Gabriel Andrade Taboqueiros
Gabriel Castro “Já brincou de boneca?”
Gabriel Matos tolimnda.vouferver.ahazeinobatom.jpg
Gabriela Jardim Patrícia
Georgia Dielly Suruba Saudável
Glauco King & The West Wolves Glauco King & The West Wolves
Grupo Acquanon Desapegados
Grupo Artisticamente Teatral Transversão
Grupo Ecos Oníricos Pálpebras
Grupo Panelinha de Teatro O Tempo de um Cigarro
Guarderia dos Meninos Economia Criativa e o Manifesta
Gurpo As10 Graças de Palhaçaria Amancebados
Guto Moreira Barba, Cabelo e Bigode
Insomnia Musical Club Insomnia Musical Club
Intorpecidade Venda de artesanatos
It Girl Rock Tropical
Ivan Timbó Um dos…
Ivna Magalhães O céu e a terra
Janaína Bento
Jânio Florêncio Eletromidivirtuáudiosamba
Januei Fez o que Fez Show
Jeferson Tinoco Formigas
Jo A-mi Olhar no Oriente
João Nogueira Filho Decoração de Ambientes …
Jonnata Doll e os garotos solventes Crônicas musicais de Fortaleza
Jord Guedes Traços e Rabiscos
Junior Mendes O retorno de Julieta
Kazane Blues Acorda Boemia
Lana Patricia Benigno Venda de produtos artísticos autorais
Lania Maria Um olhar de baixo
Leite de Rosa & Os Alfazemas O Dia do Seu Casamento
Léo Andrade Retratos de uma Argentina pela qual me apaixonei
Leon Rego A Carne Macia do Coração
Leonardo Mouramateus Europa
Liezio Gomes Beleza Urbana
Lira Dutra Homens e feras
Luana Caetano Tritongo do Tempo
Luana Sant’ Anna Memórias de São Pedro
Lúcio Flávio Gondim Intervenção Urbana
Lukas Nóbrega Cidade sem nome
Macaco Humanos Enlatados
Mairton Backing Rascunho nº1
May Desenho em Estilo Mangá
Mais de 1 Grupo de Teatro Entre 4 Paredes
Marcelle Louzada Dança para quase teatros
Marcelle Louzada Videocartografia
Marcelle Louzada Desvios
Marcus Martins “Experimento”
Marília Oliveira Francisco e eu
Max Uchoa A flor da pele
Moço Velho Canto das Ogivas
Mr. Kapruk Mr. Kapruk
Natalice Garcia Cidade – luz e sombras
Nicolas Leiva Imagem Aventura Terapia de Autoestima
Nitchia Brito e Rosane Nobrega Dança Vertical
No barraco da Constância tem! Piragem etnográfica do complexo: possibilidades outras de existência – um corpo como campo de forças atravessado por mil correntes e tensões
No barraco da Constância tem! Bichx
Nó Cego Encadernações Nó Cego Encadernações
O Solavanco Mirabolantes histórias de lugar nenhum
Oco do Mundo Plantio
Os Zé Comédia Os Zé Manifestando
Patrícia R. Cavalcante O eu em outras formas
Patrycia Rodrigues Música Rabiscada
Paulo Botafogo A Megera Domada
Paulo Winz Ponha os pés na duna
Paulo Winz Ensaios sobre fotografia e performance
Paulo Winz Puntos Suspensivos – 1
Paulo Winz E que o Cú
Pedro Augusto Araripe Exposição Ilinhado: Contínuo
Pedro Diogenes Retrato de Uma Paisagem
Primeira Turma Um Lugar Para Ficar em Pé
Projeto Corpo Curioso Corpo Curioso – Processo
Pryscilla Rodrigues Martins Ananse
Rafaelle Santhiago Ilustração
Roberta Brito Filtros dos sonhos
Além Mar Atalho
Sal É pau, é pedra é o início do caminho…
Samba de Rosas Um Samba no Ponto!
Samuel Brasileiro Próxima Parada
Sara Café Aguiar Olhar e Luz
Sátiros Misteriosamente as Ruas Transmitem Amores
Seres de Teatro Cale-se!
Siege of Hate Show da banda Siege of Hate
Sob o Domínio do Poço Ideias, segredos e mazelas cotidianas
Socorro Souza “O que (eu)quero e o que(eu) não quero” – substrato póetico
Soledad Brandão As Nuvens Serão Um Colar de Margaridas
Som Nativo Raízes
Suzy Élida Lins de Almeida Desnen
Teatro Ateliê Consultório Risoterapêutico
Tetê Macambira Classis radicalis – uma aula radical
Thales Angert Bazar| Feira | Exposição
Thales Luz z. abis sal
The Pulse Rocking Band Divulgação do EP “Sobre Bares, Outdoors e a Contramão.”
Thiago Pinheiro Braga Cravos Dançam Rosas
Tiba Multicosmo
Trupe Cangaias de Teatro Balões – Eu te amo
Veg Gourmet Alimentação Vegana
Vicente de Paulo Casario do Centro Histórico de Fortaleza
Victor Furtado e Gabriel Martins Meu amigo mineiro
Victor Hugo Milk Harlem Shakespeare
Vitor Batista Recortes do Infinito
Vitor Colares Saboteur
Webster Macedo Estética de Rochely
Webster Macedo Carícias
Wellington Gadelha As Cartas Que Escrevo, Mas Que Nunca Recebo Respostas
Wiane Moreira Wiane Moreira
William Axel Eu ou admirador de si
William Pereira Monte Sumidouro
Yasmin Marques El Laricon – Culinária Vegana
Em breve!
Postado em 6 de novembro de 2013

Em breve publicaremos a programação. Aguarde!

Inscrições prorrogadas!
Postado em 30 de outubro de 2013


As inscrições foram prorrogadas até dia 1º de novembro. Não perca esse bonde, porque depois desse, só em 2015!

Estamos chegando próximo do dia que vamos virar Fortaleza ao avesso! E pra quem não se inscreveu e quer fazer parte desse movimento, convidamos a participar das oficinas ManiFesta!, que acontecerão no dia do festival, gratuitamente, em diversos locais da cidade. Confira:

Origami1-ORIGAMI
Facilitador: Fabiana Brogliato Ribeiro
Local: Passeio Público
Data: 07/12/2013
Horário: 10h30 às 12h30
Vagas: 15
Proposta: Tarde de dobras e desdobras, transformando papel em arte: venha aprender a fazer dobraduras tradicionais, geométricas e modulares, e contribuir na instalação coletiva de origami que iremos deixar no passeio público ou imediações.
Sobre o facilitador: Fabiana desde pequena já observava atenta sua avó Geny fazendo dobraduras, e tudo começou quando, num bar, uma amiga ensinou num guardanapo de papel a dobradura do Tsuru, pássaro tradicional da arte chinesa. Desde então, foram muitas revistinhas de origami e diagramas de internet para que essa paixão se desenvolvesse. Já expôs suas artes em feiras de artesanatos (Salinas e do III Manifesta Festival das Artes); em restaurantes (Dona Chica e o Koni Baa); ministrou oficinas para crianças de todas as idades (Centro Cultural BNB e no Dia Mundial de Conscientização sobre Artrite Reumatóide na Beira Mar); decoração de lojas (Doratto); e confecção de brindes (como marcadores de página para a Primavera Editorial e os aquários para o restaurante Koni Baa). Tem um blog e uma página no Facebook, chamados Dobras e Desdobras.

yoga2 – DESPERTANDO O CORPO – A ARTE DO YOGA
Facilitador: Aldo Marcozzi
Local: Praça Gentilândia – Benfica
Data: 07/12/2013
Horário: 08h às 09h30
Vagas: 20
Proposta: Os Asanas (posturas de Yoga) baseiam-se em três importantes posturas humanas: em pé, sentado e deitado. No entanto as posturas de Yoga não são apenas uma série de movimentos que podem ser executado de maneira mecânica. Como têm uma lógica própria, devem ser executados com atenção para que essa lógica possa ser percebida e devidamente internalizada. Na abertura do Manifesta faremos uma prática focada nas posturas em pé, procurando refletir sobre seus aspectos gerais. Objetivos da oficina: – Apresentar alguns asanas básicos de Yoga que dão energia e vitalidade; – criar um espaço para vivências de consciência corporal e a sua importância para manutenção da saúde física e mental; – proporcionar aos participantes a possibilidade de abordar as questões da existência pelo prisma holístico.
Sobre o facilitador: Aldo é graduado em Letras e Mestre em Linguística Aplicada, pela Universidade Estadual do Ceará. Tem formação em Dramaturgia e Direção Teatral pelo Instituto dragão do Mar de Arte e Cultura e pratica Yoga desde o ano de 2006, tendo iniciado seu percurso de práticas em Iyengar Yoga com a professora Jimena Marques. Periodicamente recebe instruções em workshops no Iyengar Yoga Recife e desde 2008 dá aulas de Hatta Yoga em seu studio particular em Fortaleza. Como dramaturgo teve vários textos teatrais encenados, além de roteiros para espetáculos de dança e adaptações de obras literárias para teatro, todos realizados por importantes companhias artísticas do Ceará. É também professor de Semiótica no Curso de Comunicação Social da Faculdade 7 de setembro. Diretor da Cia. Teatro Mosca, fundada no ano de 2013.
OBS: *Cada participante deverá trazer o seu material necessário para a prática: tapetinho ou esteira antiderrapante, uma toalha grande e uma de rosto, usar roupas leves, de preferência de malha, e evitar ir para a prática depois de ter comido em excesso.

multicosmo3 – MULTICOSMO – INVESTIGAÇÃO SENSORIAL EM ESTRUTURAS ESPACIAIS EXPERIMENTAIS
Facilitador: Tibério Moura Gadelha
Local: Dragão do Mar – Praça Verde (junto às pilastras)
Data: 07/12/2013
Horário: 14h às 16h
Vagas: 20
Proposta: Explorar o funcionamento estrutural e a percepção estética humana em experimentos espaciais geodésicos assim como as tensoestruturas. A oficina culminará na elaboração do multiCosmo: uma instalação esférica interativa onde as pessoas podem entrar, escalar, rolar pelo espaço, ou experimentar o mundo de ponta cabeça.
Sobre o facilitador: Tiba é um inventor. Sempre se amarrou em construir umas marmotas, ou inventar umas histórias, sem pressa, no violão. Depois que terminou seus estudos no Curso de Arquitetura e Urbanismo (UFC), suas idéias têm ficado mais atrevidas e entendíveis, e têm apostado muito na mutiplicidade das coisas. De quando em quando, se vê explorando por ai outra habilidade que já andava enferrujada. Viajou e percebeu a liberdade como impulso de beleza e harmonia nas coisas, costuma então registrar isso de maneira simples em sua vida através da arte.

Zine

4 – MANIFESTE-SE, FAÇA UM ZINE!
Facilitador: Carliane Menezes e Crislay Micaely
Local: Arena Planetário
Data: 07/12/2013
Horário: 14h às 18h
Vagas: 15
Proposta: A oficina tem como objetivo principal, criar de forma espontânea e prazerosa, um registro vivo dos manifestantes (oficiais e não oficiais) através de um veículo amplamente livre de censura: o zine. Nesse sentido, a construção de um zine coletivo “polifônico” mostra-se como uma estratégia de não só documentar uma cena viva, mas evidenciar que todos (inclusive os não manifestantes) compõe um coletivo de ação e expressão cultural. O zine é uma experiência da autonomia diante das narrativas culturais dominantes e/ou do conhecimento acumulado das instituições burocráticas e de ensino. Ele é ao mesmo tempo afirmativo (pois que valoriza o “faça você mesmo”) e também político (visto que pensa e reflete a realidade a partir de algo concreto e não teórico ou abstrato). O zine “movimenta uma cena” e seu veículo é emocional. Desse modo, queremos criar um zine etnográfico, feito de sons, palavras, cores, subjetividades, cotidiano, vozes, dentro de um cenário estimulante e propício que é o Manifesta!
Sobre as facilitadores: Carliane Menezes – Zineira e educadora. Estudante do curso de Filosofia (Bacharelado) da UECE e Educadora de Inclusão digital do Instituto Idear (Secretaria de Juventude e Cultura da Prefeitura de Maracanaú).
Crislay Micaely – Aluna do curso de Filosofia (Bacharelado) da Universidade Estadual do Ceará – UECE; Gosta de ler, escrever e se emocionar; Adora literatura e admira as artes e a sensibilidade. Entende a poesia e a escrita como forma de conhecimento sobre o mundo.

caffenol5 – CAFENNOL – REVELANDO FILMES PB COM CAFÉ
Facilitador:
Éden Barbosa
Local: Passeio Público
Data: 07/12/2013
Horário: 11h às 13h
Vagas: 07
Proposta: Dentro da fotografia analógica utiliza-se um grande número e variedade de químicos que dependendo da natureza ou aplicação tendem a prejudicar o meio ambiente pela sua toxicidade.Na década de 90 o caffenol se apresenta como uma alternativa sustentável e de qualidade pra revelação de filmes negativos Preto e branco e coloridos, trazendo a tona imagens com toda uma estética e linguagem pessoal e única. A oficina tende a explicar isso e como dominar e aplicar a técnica da composição e aplicação desta fórmula.
Sobre o facilitador: Fotógrafo. Desenvolve há 2 anos pesquisas e conceitos na fotografia expandida e suas interlocuções com as artes visuais e outras linguagens integradas (cinema, música e literatura) partindo como referência os artistas Arthur Omar e Rosângela Rennó.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
Feira Agroecológica do Benfica
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
8h Despertando o corpo – A arte da Yoga Aldo Marcozzi oficina Os Asanas (posturas de Yoga) baseiam-se em três importantes posturas humanas: em pé, sentado e deitado. No entanto as posturas de Yoga não são apenas uma série de movimentos que podem ser executado de maneira mecânica. Como têm uma lógica própria, devem ser executados com atenção para que essa lógica possa ser percebida e devidamente internalizada. Na abertura do Manifesta faremos uma prática focada nas posturas em pé, procurando refletir sobre seus aspectos gerais. Objetivos da oficina: – Apresentar alguns asanas básicos de Yoga que dão energia e vitalidade; – criar um espaço para vivências de consciência corporal e a sua importância para manutenção da saúde física e mental; – proporcionar aos participantes a possibilidade de abordar as questões da existência pelo prisma holístico.
9h Mirabolantes histórias de lugar nenhum O Solavanco Contação de histórias infantis “Mirabolantes histórias de lugar nenhum” é um projeto d’O Solavanco, formado pelos multiartistas Joyce Custódio e Bruno Lobo. Aborda o universo infantil de forma lúdica através da interseção das várias linguagens: contação de histórias, música e teatro.Inspirado no livro “Contos populares do Brasil”, do historiador Silvio Romero, o projeto traz a proposta de reinventar os contos de origem popular. A partir de três contos, sendo um de origem européia, outro de origem africana e um de origem indígena, propõe refletir sobre este lugar Brasil, país mestiço, híbrido e heterogêneo. Daí a proposta de serem contos de lugar nenhum, pois foram recolhidos aqui, mas poderiam muito bem ter vindo de um país qualquer, dada a tamanha diversidade da cultura brasileira.

Como diriam Arnaldo Antunes e Chico Science: “somos o que somos: inclassificáveis”. E é essa mistura de raças, gêneros, cores, culturas e histórias que queremos apresentar. Um caldeirão onde muita coisa cabe, numa miscelânea de personagens, histórias, fatos e sons. Uma mirabolante e divertida aventura pelo mundo da imaginação.

10h Artroca Clownciência Música, Performance, Artes Plásticas, Instalação, Circo O projeto “Artroca” tem como objetivo realizar uma intervenção de clowns que resultará na criação de uma instalação com qualquer tipo de material criativo oriundo de uma troca feita entre o grupo Clownciência e o público do ManiFesta.
Através da expressão corporal e de boas doses de improvisos os membros do Clownciência incialmente irão convidar o público do ManiFesta a participar da intervenção trocando objetos, peças de vestuários, materiais reciclados, pinturas ou simplesmente conhecimentos por abraços, carinhos, olhares…
Em seguida, envolvidos em um ambiente musical, os clowns oferecerão suas habilidades artísticas para transformar esses materiais utilizando pinturas, colagens e técnicas afins e compor uma instalação coletiva e consciente que simbolize o lado lúdico, as cores e a beleza da vida.
Passeio Público Coreto
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
10h30 Chaplin: aventuras desventuras cia teatrinho de palhaços e brincadeiras Teatro Carlitos se envolve em cenas com teor cômico e extrapola de toda sua desenvoltura corporal, na resolução dos fatos é surpreendido pelo desenrolar dos acontecimentos.
11h Pedras Portuguesas Ana Carla de Souza Performance, Dança Um retorno à cidade de Fortaleza com uma experiência de intervenção urbana que foi vivenciada em Portugal, com pedras portuguesas. Pedras estas que foram utilizadas em manifestações portuguesas e que são presentes em sua arquitetura; e ao mesmo tempo recorrentes em calçadas de Fortaleza. Fortaleza esta que vive momentos de manifestações…
Esta experiência foi desenvolvida a partir dos afetos e das tentativas de pertencimento e territorialização com a cidade de Lisboa no período de 10 meses em intercambio estudantil. Como se retornar ao lar? Como pertencer a Fortaleza de um outro modo? Como rearranjar os novos afetos culturais com uma historicidade anterior em Fortaleza?
A partir dessas questões duas intérpretes fazem uma trajetória com o corpo e pedras portuguesas no espaço público e finalizam o percurso com as memórias das sensações vividas nas duas capitais. Uma forma de reapropriação e pertencimento às cidades.
11h30 Amancebados grupo as 10graças de palhaçaria Teatro, Performance, Circo Conta a história megalo-romântica de um palhaço,Raimundo Novato, que numa noite de perdição acaba se encontrando com o amor de sua vida, a linda Macambúzia. E depois de várias tentativas e confusões para conquistar a bela donzela se produz um repentino casamento.Mas quem pensa que no casamento as confusões terminam , está muito enganado.
Passeio Público Palco
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
10h Traços e Rabiscos Jord Guedes Música Show autoral de Jord Guedes, com repertório de seu primeiro disco que será lançado em 2014
10h30 Oficina Origami Fabiana Brogliato Oficina Tarde de dobras e desdobras, transformando papel em arte: venha aprender a fazer dobraduras tradicionais, geométricas e modulares, e contribuir na instalação coletiva de origami que iremos deixar no passeio público ou imediações.
11h Ê vida boa Confraria do Som Música O grupo traz um show que é fruto de anos de pesquisa em ritmos, música brasileira e tecnologias musicais (música eletrônica).
O intuito é fazer o diálogo entre a tradição e a modernidade tecnológica, tocando uma música inovadora com os pés fincados na tradição.
O show trás músicas autorais que abordam de forma poética e criativa o dia-a-dia.
11h45 Fastio Bonilas Música Os Bonilas trazem em seu atual espetáculo musical um conjunto de composições autorais marcadas por experimentações e sincronismos gerados em ensaios e nas apresentações ao vivo. A busca é por uma sonoridade libertina e dançante!

Release Bonilas
Os quatro amigos, oriundos de outros projetos musicais, iniciaram suas atividades conjuntas em Janeiro de 2007. A banda possui influência de sonoridades que vão do afrobeat ao pop, com referência de nomes como Nação Zumbi, Cidadão Instigado, Tony Allen, Otto, etc.

Sua prática musical consiste principalmente na criação e releitura de composições próprias, construindo uma atmosfera de constante renovação. Já tocaram em festivais de relevância municipal como a Mostra Petrúcio Maia e o Festival de Bandas Universitárias da UFC, além do Festival de Composição Musical do Centro Cultural do Bom Jardim, onde ganharam o primeiro lugar no concurso de bandas.

No palco, a interação entre o quarteto é efetiva, com sincronismo e arranjos inusitados que constroem uma sonoridade peculiar, apesar do formato clássico da disposição dos instrumentos (voz, baixo, guitarra, bateria), que passeia entre gêneros da música popular brasileira e se reinventa com uma identidade sonora.

12h15 Insomnia Musical club Insomnia Musical club Música Show musical 100% autoral ao melhor estilo rock com sotaque cearense
12h45 Oficina Cafennol – Revelando filmes PB com café Eden Barbosa Oficina Dentro da fotografia analógica utiliza-se um grande número e variedade de químicos que dependendo da natureza ou aplicação tendem a prejudicar o meio ambiente pela sua toxicidade.
na década de 90 o caffenol se apresenta como uma alternativa sustentável e de qualidade pra revelação de filmes negativos Preto e branco e coloridos, trazendo a tona imagens com toda uma estética e linguagem pessoal e única.A oficina tende a explicar isso e como dominar e aplicar a técnica da composição e aplicação desta fórmula.
13h Banda Soulzen Banda Soulzen Música A banda Soulzen surgiu em meados de 2009 em Fortaleza-CE, com a proposta de um som com energia numa pegada Rock/Ska e uma pitada de Reggae, com influências que vão de banda californianas como Nofx, Sublime a bandas brasileiras como Charlie Brown Jr, trazendo em suas letras temas do cotidiano a banda possui um CD lançado intitulado “Novas Ideias” e conta com diversas apresentações em varias casas de Fortaleza.
13h30 Baculejo ou Poesia de Bolso Antonio Viana Música, Performance, Instalação, Poesia Experimentação poética onde as pessoas serão envolvidas nas ações por meio de provocações singelas, afetuosas e mútuas, sendo a poesia uma maneira de se chegar as intensões na maioria das vezes esquecidas.
14h Bhakti Sabiaguaba Bhakti Sabiaguaba Música O projeto BHAKTI SABIAGUABA corresponde a uma apresentação de reggae ambiental. Traz músicas autorais que deflagram uma consciência contemplativa, responsável e ativa frente aos diferentes aspectos do meio ambiente: o si mesmo, o outro e a natureza. As músicas têm o propósito de alegrar e embalar a todos, conduzindo a uma ascensão no estado de espirito dos ouvintes, levando assim a uma contemplação mais atenciosa e reverente frente ao milagre que é a vida. Com a magia do canto, a emoção das cordas, a elevação do sopro, a música brinca com as múltiplas células rítmicas. Desperta em nós uma grande importância de estarmos sempre evoluindo e conscientes de que fazemos parte de um todo, estimula o desenvolvimento de uma consciência sobre si mesmo e uma consciência ambiental.
SESC Iracema
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
14h30 Sob(re) Efeito Coletivo Quem? Teatro Coberta pela fumaça do alheamento dos poderes, eis que surge uma pequena cidade dos esquecidos, sem leis, sem ética, sem moral e sem pudor. Enfeitada com coloridas latas retorcidas, a Cracolândia brota em meio à selva cinza de concreto e aço, adotando os filhos e filhas esquecidos pela pátria amada e idolatrada
15h30 Julieta Junior Mendes Dança Não há mais cartas de amor, muito menos serenatas, não estamos mais no romantismo, o amor não é um conto de fadas.
Julieta retorna sobre as pontas, retorna ao real e percebe que o amor não é como o de outrora.
15h45 Janaína Bento Dança Uma cadeira. Uma mulher. Sozinha com seus pensamentos que levam à movimentos. Os pensamentos serão lembranças ou desejos?
16h30 Loa coletivo de Loa Teatro O espetáculo teatral “Loa” evidencia o diálogo entre Maracatu e a cidade de Fortaleza, cartografando os temas, os gestos, as vocalidades, enquanto matrizes antropológicas da cultura africana.
Apresenta-se como fruto de pesquisa cênica, tendo como matriz o maracatu cearense e sua performance nas ruas da cidade. No espaço-tempo do Carnaval de rua, o maracatu cearense ganhou relevo pela potência inventiva dos brincantes. Deles concretizou-se a relevância dos materiais antropológicos, rítmicos, plásticos, performativos, constituindo uma intensiva cartografia para a cultura dramática local.Nossa narrativa cênica propõe-se a dialogar com as matrizes da tradição, veio da ancestralidade, evocando no corpo-voz dos atores e atrizes a memória da cultura afro vivenciada por Raimundo Boca Aberta, Mestre Juca do Balaio, Zé Rainha…E também “Loa” evoca o tempo de agora. É percurso e incursão em outras linguagens, em experimentos/entremeios como instalação videográfica que cartografa os atuantes-tela. É performance cênica e visual de brincantes. É ginga, transgressão de carnaval, atualização dos mitos e ritos. Propomo-nos através do cortejo, feitura de corpos e vozes estabelecer as conexões com a africanidade espraiada pela cidade de Fortaleza via cena contemporânea.

A encenação tecida por vários artistas do teatro, da dança, da música, do vídeo, cartografam um cortejo de personas do maracatu. O grupo de atores-brincantes forma um coro, de onde surgem as máscaras, as ações.

18h Seca Flor Caravana Tragos Teatro O espetáculo “Seca flor” foi criado pela Caravana Tragos a partir de discussões sobre a formação do povo brasileiro, e sobre a seca que atingiu e atinge o nordestino, mesmo em nossos dias. Para isso, foi realizada uma pesquisa estética e social em torno da religiosidade sertaneja e também relacionada a musicalidade e corporeidade brasileira, presente nos elementos de formação do povo nordestino. O espetáculo proporciona ao publico sentir-se parte deste povo que dança, canta e resiste.
19h Ostinato Coletivo Experimentus Dança Em música, um ostinato é um motivo ou frase musical que é persistentemente repetido numa mesma altura. A ideia pode ser re-editada através de um corpo que dança. Numa ação coletiva de movimento a técnica dos doze tons torna nossa dança caótica e envolvente!
19h30 Homenagem à Ricardo Guilherme convidados Homenagem a nosso querido ator, dramaturgo e diretor teatral Ricardo Guilherme
21h Entre 4 Paredes Mais de 1 Grupo de Teatro Teatro “O que acontece na minha obra são variações infinitas do que aconteceu na minha vida”, disse Nelson Rodrigues em entrevista ao JT em 1974. Entre 4 Paredes faz uma homenagem às comemorações do centenário de nascimento de Nelson Rodrigues, imortalizado por suas obras. É Livremente inspirado no submundo de Nelson, desnudando preconceitos, pintando e borrando “coisas” que a sociedade marginaliza, que deseja a todo custo trancafiar entre quatro paredes. Um jovem sem nome, ou de muitos nomes, bebe suas dores, perdido em uma madrugada qualquer, de um dia sem importância. Longe de casa, da família, dos amigos, em um quarto de hotel, confronta-se com todos os medos e abandonos. Sofre de amor. De promessas feitas e desfeitas. De momentos que se dissiparam no tempo. Um espetáculo intimista, pretende colocar a plateia neste quarto, nesta cama de hotel, Entre 4 Paredes, se costurando com lágrimas, lençóis e vinho todas as dores e seus amores, uma história que pode ser vivida, amada, desejada, gritada, tomada, trancada ou silenciada por qualquer um. O figurino é um longo vestido vermelho, que serve de tenda, de teia, de esconderijo, de amarra, de liberdade, de paredes do coração, de paredes da alma. Um pedaço de “pano” costurando memórias, desfazendo imagens para serem lembradas, para serem esquecidas.
21h30 uma carta, uma homenagem, uma resposta, um mapa, um código… Andréia Pires e Daniel Pizamiglio Dança Uma mulher vestida de preto executa uma dança. Um conjunto de movimentos articulados numa sequência de tempo variado, constrói um diálogo entre o amor e o abandono, entre a mecânica do corpo e os significados do gesto.
Esse trabalho pode ser uma carta, uma homenagem, uma resposta, um mapa, um código, uma tatuagem, uma pizza quente, um beijo de língua, uma maçã argentina, um chocolate meio amargo, um pão francês, um filme de amor, o fim de um amor, o próprio amor, uma câmera, um jogo americano,um bicho, uma viagem, ou até mesmo um número: 2046.
Palco Rogaciano Leite
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
19h15 Erivan Produtos do Morro e Banda Erivan Produtos do Morro Música ERIVAN PRODUTOS DO MORRO traz para a cena musical de Fortaleza um trabalho 100% autoral, misturando as batidas do RAP com vertentes do ROCK, do RAGGA, da MPB, do morro com o asfalto, sem perder de vista as influências regionais. O resultado é uma apresentação explosiva, original e contagiante.
Erivan mergulha na difícil realidade social do Castelo Encantado, comunidade onde cresceu e ainda vive, para compor suas canções, sempre trazendo ao público mensagens positivas, com o olhar focado na valorização da cultura, das personalidades históricas e da vida.
No repertório, canções como “MUCURIPE” e a “MÚSICA DA PEDRA – A VIDA É MUITO BOA MEU CHAPA”, mexem com as emoções e o orgulho do povo fortalezense. Mas a visão cosmopolita do músico aparece em composições como “NO RACISMO”, cujo refrão gravado com a participação do Marroquino HOSSNI BOUDALI, garantiu ao RAP de Erivan um caráter totalmente inédito.
Outros talentos também são atrativos deste show. Revelações do Hip Hop, TRETA MC, DJ ROBSON, MANO ÁLA e NEGUIM DO RAP representam! O baixista DAVID BRASILEIRO, o guitarrista DAVI FERNANDES e o baterista JEFFERSON BRAUN, profissionais com trajetórias vinculadas a grandes nomes da música brasileira, lançam o Rap a outro nível sonoro. O BEATBOX feito por Erivan é um show à parte e contribui para dar ao espetáculo o seu caráter contemporâneo.
20h A Casa Capotes Pretos na Terra Marfim Música O projeto musical A Casa, do grupo Capotes Pretos na Terra Marfim, leva ao palco experiências sonoras vividas em diferentes casas nas quais os membros da banda tocaram e ensaiaram juntos. A vivência em cada uma delas fez surgir uma sonoridade com as características desses lugares. Uma casa que respira, transmite ideias, observa o crescimento dos filhos, que ri, chora e que traz lembranças. As canções que compõem o show aparecem como um mosaico, em que vários fragmentos unem-se para formar um todo, como em uma casa em que cada cômodo possui uma “atmosfera” peculiar, emanando uma energia específica. Desta forma o show perpassa por várias sensações: da introspecção do “quarto” à socialização da “sala” até à brincadeira no “quintal”.
20h45 Fez o que Fez Show Januei Música Composições em português marcadas pela livre experimentação de diferentes ritmos e temáticas da cultura popular brasileira e mundial. A Januei mistura referencias inusitadas dando nova cor à musicalidade do underground alencarino. O repertório inédito e autoral da banda é uma busca por renovação musical e estética, um flerte descompromissado do indelével rock alternativo com ritmos mais tropicais.
21h30 Show de circulação do cd Operários da Cultura Canela Fina Música Apresentação das canções autorais na seguinte formação: Raphael alves na bateria e voz, Toti Grooves no contra baixo e voz, Ernesto cartaxo na guitarra e voz, Gabriel Souza no violão, gaita e voz e Brayner Feijó na percussão, pífano e voz.
22h15 Acorda Boemia Kazane Blues Música Blues autoral, abordando temas locais sobre a vida e fatos de Fortaleza e do Nordeste, com linguagem popular
22h45 Rock Tropical It Girl Música Rock pra não ficar parado. Imagine uma festa com um rock pra dançar, guitarras ardidas e um frontman enlouquecido, a It Girl está tocando! O som da banda não tem muito segredo. Misturando letras em inglês e português, melodias embalantes e bons refrões, a It Girl é trilha sonora para aventuras fictícias. Um rapper decadente, uma viagem sem rumo, um forasteiro que quer viver de música no México, um amor não resolvido. Um rock tropical/londrino pra quem gosta de se divertir ouvindo música.
23h30 Canto das Ogivas Moço Velho Música Nascida em dezembro de 2006, a banda MOÇO VELHO aposta em uma proposta singular:

Unir a influência de sonoridades setentistas e melancólicas de ídolos nacionais desse período como Roberto Carlos e Márcio Greyck aos sons atuais do pop britânico como Radiohead, Keane e Travis, em um cenário onde as letras remetem a um pessimismo nostálgico e flerta com as inquietações do cotidiano.

No show da banda Moço Velho são apresentadas canções de suas própria autoria frutos de suas vivencias e de sua paixão pela música. Amigos desde o berço(Marcelo, baterista e Marcus Aurelio Pereira, baixo são irmãos e Adams Rebouças é primo de ambos), o entrosamento no palco é sua principal característica, onde a banda destila seu repertoria de baladas pop e melancolia setentistas, fazendo o publico dançar e se deliciar com suas melodias doces e suas letras sagazes.

Inicialmente a banda optou por usar samplers eletrônicos ao invés de bateria tradicional em uma fase inicial, contudo, hoje a formação conta com um baterista recém integrado e já estão a um passo de se firmar dentro da cena alternativa do país tocando em casas de show importantes como NOISE3D, Buona’Micis e Arcevo Imaginário, e participando de festivais culturais pelo estado.
Atualmente a banda possui um EP (Jaz Aqui) e um álbum (O Canto das Ogivas) lançado direto para web.
Fazem parte da banda Marcelo Dennisdead e Marcos Aurelio, Dj’s e co-fundadores do Club NOISE3D, atualmente Projeto NOISE3D que completou 10 anos em 2013.

0h15 As Nuvens Serão Um Colar de Margaridas Soledad Bradão Música Através de inspirações vindas do movimento antropofágico oswaldiano vivido no Brasil no anos 1920 e que influenciou a Tropicália em meados dos anos 1960,Soledad se vê “antropofagizando” duas vertentes que lidam com atmosferas que desatinam o inconsciente sonhador, o Surrealismo e a Psicodelia, desenvolvendo a sua própria imagem sonora, sonhadora e poética e incitando o público, através de um “deslumbre psíquico” ocasionado pelas provocações musicais e visuais trabalhadas no show, a interpretar a si mesmo e a libertar as suas fantasias.”
01h45 Um dos… Ivan Timbó Música Atualmente, Timbó trabalha na finalização de seu terceiro disco, intitulado “Um Dos…”, onde deixou de lado os recursos eletrônicos e focou na gravação de sonoridades acústicas e reais. Saindo do formato instrumental, Ivan volta a escrever letras e compor em parcerias, trazendo para o público composições intimistas e profundas. A sonoridade do disco é vintage por se utilizar de instrumentos antigos e raros. Todos os arranjos são assinados por Timbó, que dentro do estúdio, se encontra mais experiente, extraindo um som cru de seus instrumentos e equipamentos de gravação. O disco terá 11 faixas e tem lançamento previsto para o segundo semestre de 2013, pelo selo SEPASSANDO rec.
2h45 Chacomdéga Chacomdéga Música Apresentação musical de músicas compostas pelo trio instrumental chacomdéga. chacomdéga flerta com o dub, reggae, loung e afrobeat, compondo paisagens sonoras dançantes e meditativas.
3h45 Banda Água Ardente Blues Banda Água Ardente Blues Música Com um estilo diferenciado – que mistura o swing do Rock e a melodia do Blues com a irreverência cearense -, a Água Ardente Blues coloca a plateia para dançar e se emocionar, mostrando a ótima qualidade que a música produzida no Nordeste pode ter. O Show “Tanta Estrada” tem como foco a apresentação das músicas autorais da banda. Formada em agosto de 2008, a Banda Água Ardente Blues conta com o vocal impressionante de Paulo Belim, os riffs seguros de Leudo Jr, os solos virtuosos de João Neto, o ritmo dinâmico das baquetadas de Flávio Gigas e o grave alucinante do baixo de Raul Lanuit para oferecer um blues dançante com toda a sensualidade do rock’n roll.
4h30 Apresentação musical da banda Cocaine Cobras Cocaine Cobras Música Show musical da banda fortalezense Cocaine Cobras com repertório cem por cento autoral.
5h15 Mr. Kapruk Mr. Kapruk Música Espetáculo de artes integradas inédito e exclusivo, desenvolvido especialmente para a ocasião do 4º ManiFesta! Festival das Artes. Fusão entre a música cearense autoral da banda Mr.Kapruk, com treze anos de experiência e a dança urbana de grupos convidados de breaking (Hip-hop), aliando o rock alternativo com a dança oriunda da periferia de Fortaleza. A música acontecerá no palco e a dança no espaço junto à frente no solo. Os be-boys revezam-se ao longo dos trinta minutos de show, onde serão executadas cerca de sete canções.

No presente espetáculo será lançado o segundo álbum da banda– “Rato Maçã (2013)” composto por 12 (doze) músicas autorais, inspiradas no tema “cidade/urbano” e tomando com inspiração a cidade de Fortaleza e as experiências de seus integrantes, que nasceram, cresceram e vivem nela. As letras falam da percepção sobre nossa cidade: seu movimento, o consumismo, os prédios, os elevadores, a vida confinada, a solidão de cada um em meio a milhares de pessoas.

A sonoridade das composições do recente álbum que serão apresentadas (Sintonicidade, Elevadores, Confinamento, Dinheiro, Desejo, Marquises, E.L.A) trazem aspectos contemporâneos e urbanos em batidas “à brasileira” e estrutura de loops de bateria, suingue de guitarras e distorções com elementos eletrônicos.

Espaço Patativa
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
20h30 #cocacolaheinermuller Coletivo independente Teatro, Performance Diálogos secos/subjetivos/cruciais. Um homem que é ao mesmo tempo herói e assassino da própria história. Narrada por três atores, que se colocam diante de uma multidão para julgar e serem julgadas pelo crime/vitória do próprio ser humano diante de seus fracassos/sucessos. Nesse paradoxo fica somente a pergunta “o que deve acontecer com o cadáver do assassino?”.#cocacolaheinermuller teve origem na disciplina de “Ator Narrador” na graduação em teatro pelo curso de Licenciatura do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará. Tem como força poética a fala, o gesto e a imagem como meio de confronto e oposição na composição da cena.
21h15 Bichx No barraco da Constância tem! Dança, Teatro, Performance, Artes Plásticas Ação. Transição. Tempos e espaços variantes. Mobilidade. Efemeridade. Investigação de volumes. Agenciamento de planos. Equilíbrio provisório. Superfície lisa. Criação de imagens. A obra e o espaço público. A cidade como uma selva plural. A obra e o público. Dualismo entre o fetiche contemplativo e a intimidade interativa, proporcionando diferentes tipos de relação. Pessoas variantes diante da obra ou juntas à obra. Estar diante de ou estar com. O entre o popismo e o experimentalismo. O uso e o não-uso de artifícios como magnetismo. A espetacularização e o não ao espetáculo. Caracterizar-se e despir-se. Processo. Realidade possível. O corpo animalesco. Interventivo. Itinerante. Possível. Feito bicho solto pelo mundo.Corpos selvagens devidamente caracterizados como bichos, cada qual com suas matrizes pré-estabelecidas, evidenciam tais questões na medida em que eles se relacionam com o / no ambiente em que eles se encontram, movimentando o espaço em si mesmo e compondo junto a ele.

Bichx é uma proposta performática que tem como ponto de partida o que há em concordância e discordância na série de esculturas móveis Bichos, de Lygia Clark, criadas a partir de 1960, e do disco Bicho, de Caetano Veloso, de 1977.

22h Terapia de Autoestima Nicolas Leiva Imagem Aventura Fotografia O ensaio é sobre um lugar especial que se encontra no bairro do Jangurussu. Neste lugar existe uma Oca de Índio onde se realizam terapias de autoestima, massoterapia e outros serviços para as pessoas da comunidade. Muitas doenças são psicológicas e se demostram com algumas doenças ou dores no corpo e assim, então este projeto visa tratar as pessoas desde a raiz do problema (problemas que muitas vezes começaram na infância, no parto, outras vidas, etc).As fotografias é o retrato do que acontece nesse espaço, e a transformação que cada pessoa dá para sua vida.
23h15 Outonar Agua Dança Teatro Dança, Teatro, Performance, Instalação As relações e seus respingos em letreiros, pichações, grafites.
As pessoas clamam por amor.
Está nos muros: “Ame mais!”, “Mais amor, por favor!”
Onde antes encontrávamos desejos de liberdade de expressão, achamos agora também um desejo pelo afeto.
Outonar é uma proposta de relação entre nossos corpos e a cidade, mas que principalmente, se interessa pela resposta que a cidade dá aos afetos que já habitam.
O sintomático desejo de amor expresso nas ruas, nas redes sociais, nas manifestações artísticas é um apelo político.
0h Retratos de uma Argentina pela qual me apaixonei Léo Andrade Fotografia Essa série de retratos é uma seleção de pequenos momentos, que transmitem ao autor uma nostalgia e uma saudade de uma experiencia incrível. Mostrar esses fragmentos é compartilhar bons momentos.
0h45 As Cartas Que Escrevo, Mas Que Nunca Recebo Respostas Wellington Gadelha Performance Atualmente passamos por uma crise no oficio artístico, seja pela ineficiência dos equipamentos culturais ou pelo caldeirão ácido de artistas locais. Artistas estão em constante processo de aprendizado, onde a utilização de técnicas e capacidade criativa se mostra muito forte no processo continuo de construção de repertório e, quando temos em paralelo as condições de se fazer arte, o artista se debate com questionamentos que inquietam as possibilidades de sua trajetória na vida, bem como algumas vezes também desemboca na questão de continuar ou não fazendo arte diante das circunstancias. “As Cartas Que Escrevo, Mas Que Nunca Recebo Respostas” são correspondências unidas justamente no momento em que o oficio artístico é colocado em questão, seja pelos amigos, os inimigos, a cidade, os artistas.
A performance mostra um artista com as malas prontas para uma viagem. Os presentes devem pegar uma carta dentro de uma caixa, ler para os demais e por fim respondê-la. A resposta é dada através de um banho de água fria, ou seja, terá vários recipientes de vários tamanhos no local cheio de água. As cartas lidas são textos escritos num dado momento, textos que contam segredos, experiências de vida, desabafos, mas que nunca tiveram respostas. Os recipientes variam de tamanho para que os presentes tenham liberdade de escolherem a maneira que o recipiente com água deva ser derramado, respondido. A performance teve como linha teórica estudos a partir de Renato Cohen e Eleonora Fabião.
2h15 Suruba Saudável Georgia Dielly Teatro, Performance Uma mulher passa frutas em seu corpo enquanto come batata ruffles com coca-cola, ao lado uma gaiola com um filhote de animal e produtos cosméticos.
3h15 CRISTOZÉ e Os Últimos Profanos Airton Lima Teatro, Performance, Artes Plásticas, Instalação, Poesia, Literatura CRISTOZÉ e Os Últimos Profanos
UMA EXPRESSÃO CÊNICA uma forma de linguagem de caráter SIMBÓLICO E POÉTICO (uma imagem grávida de sentidos). Desta, REFLETE (a abstração lúdica) A IMAGEM (cena) DE UMA MANIFESTAÇÃO PÚBLICA RELIGIOSA.
(os performer’s, por meio de um conjunto de instalações) criam uma expressão, emotiva e racional, uma manifestação do sensível que se inscreve na forma de manifestação sócio e cultural de religiosidade).
UMA REPRESENTAÇÃO LITERÁRIA E IMAGÉTICA DA PREGAÇÃO composta a partir de elementos expressivos e significativos. do fazer erótico sagrado.
4h15 Próprias Cores Paulo Winz Fotografia Da herança das parteiras, devoradoras de suas placentas, das Fridas que se pintam porque nada mais conhecem que as próprias cores, suas próprias dores. Ensaio realizado com Thais Itapema.
5h Encuentro Xibalba Bogotá Paulo Winz Fotografia Entre os meses de março e abril de 2013, foi ralizado em Bogotá o Encuentro Xibalba com artistas de diversos países(Argentina, Chile, Colômbia e Brasil) com o objetivo de criar uma obra de circo contemporâneo, chamada Resisterra. Este é uma registro sensível e valioso para o circo latino que ocupa lonas, teatros, centros culturais e as ruas para levar sua arte em constante desenvolvimento e resistência.
Cinema Dragão do Mar
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística  Descrição
14h Meu Amigo Mineiro Victor Furtado e Gabriel Martins Cinema Gabito, Tô te esperando pra conhecer minha cidade. Chega aí. Vitim.
14h15 SP70 Camarim Cinema de Ator Cinema Após o Golpe de 64, em todos os níveis de escolaridade, o conteúdo de ensino no Brasil fora forjado em institutos de estratégias de Guerra. Para além das escolas, livros, e telecomunicações, o controle estatal militar inibia até mesmo as comunicações interpessoais. A alienação dos brasileiros torna-se consolidada com a decretação do Ato Institucional nº 5 (AI-5).

Decretado pelo Governo, em 1968, o AI-5 promoveu a censura aos meios de comunicação e a toda forma de expressão artística. Na tentativa de driblar a censura, intelectuais e artistas valiam-se de codificações em suas reduzidas possibilidades de discurso e em suas obras. O título deste filme de ficção é uma alusão a estes dribles.

SP70 parte do conceito de alienação política. Milhões de brasileiros desconheciam (como ainda ignoram) o que se passava nos porões do Regime Militar. Contudo, na São Paulo de 1970, ainda sofrendo cárcere político, Frei Tito de Alencar Lima consegue denunciar as torturas e injustiças promovidas pela ditadura brasileira. Seu relato tornou-se o principal libelo internacional contra a tortura.

O jovem frade dominicano ainda sobreviveu quatro anos às marcas indeléveis da tortura. No exílio europeu foi encontrado morto, dependurado num álamo, em consequência de verdes delírios.

14h30 Atalho Além Mar Filmes Cinema Uma ruptura na rotina de Luana a obriga a enfrentar o medo de andar de bicicleta, com este meio de transporte ela se depara com obstáculos, percebe novos prazeres e descobre atalhos.
14h45 Não se pode ficar com dois amores André Moura Lopes Cinema Ramon está em momento de transformação onde está no fim de relacionamento e saindo de uma dependência química.
15h Taboqueiros Gabriel Andrade Cinema Para derrubar a palha da carnaúba é preciso mais que força e jeito. Todos os dias Narcísio e Zé Augusto saem pela mata com os companheiros para garantir o sustento. Excelentes derrubadores, contam com a ajuda dos mateiros, apanhadores, desinganchadores, comboeiros e lastreiros para realizar uma atividade física impressionante.
O documentário Taboqueiros mostra o cotidiano destes homens de origem indígena que mantêm viva essa prática extrativista secular no município de Caucaia, Ceará.
15h30 Debate Debate com os realizadores
16h Retrato de Uma Paisagem Pedro Diogenes Cinema Um filme sobre a cidade. Um filme sobre pessoas. Estamos vivendo o começo da era da sociedade urbana. Um novo campo ainda ignorado e desconhecido. E o cenário do futuro ainda não se encontra estabelecido.
16h30 Cidade Postal Clara Bastos, Tarcísio Rocha Filho e Victor Costa Lopes Cinema Espero que esteja bem. Ass: Eu que fiquei.
16h45 Próxima Parada Samuel Brasileiro Cinema Pessoas que andam de ônibus. Cruzamos com elas todos os dias. O máximo que podemos saber sobre cada uma delas é em qual parada que vão descer.
17h Europa Leonardo Mouramateus Cinema As ruas onde vivo foram onde nasci. E antes disso minha mãe. E antes disso meus avós. Desenho estas ruas: não há lugar como nosso lar.
17h15 Debate Debate com os realizadores
Teatro Dragão do Mar
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
18h30 Balões – Eu te amo Trupe Cangaias de Teatro Teatro, Performance O esquete traz a relação de João, Maria e Luís. Três pessoas, ou melhor, três balões imersos num ciclo vicioso de repetições, monotonias e silêncios. O relacionamento de João e Maria se esvai ao mesmo tempo em que aparece Luís, um amigo de João que todo dia bate a sua porta.

O esquete tem como objetivo satirizar a relação do casal João e Maria. O tempo, o espaço, a repetição, os “bons dias” saturados da monotonia de ambos são inseridos no esquete como premissa de discussão. Inseridos num universo atemporal as personagens refletem uma sociedade “antropofágica”, buscando digerir e ser digeridas pela presença do outro, suprindo a sua carência física, emocional e espiritual. A incomunicabilidade esta presente na relação de ambos, assim como o caos das brigas, dos desejos reprimidos e da intromissão de um terceiro/outro/amigo/estranho.

19h Andarilhos Companhia de Theatro Arcádia. Teatro Preso ao sonho de uma velha pintura, um boneco de pano perambula pelo sertão na esperança de encontrar seus donos que no meio dessa saga perderam-se vencidos pela seca. Surgem então dois andarilhos que, ao verem a velha pintura, resolvem começar uma longa e interminável jornada.
20h A Isca Guilherme bruno, Edivaldo Ferrer, Maruska Ribeiro Teatro 1943. Em plena noite, um navio zarpa em alto mar com um grupo de pescadores. Ao comando do Capitão, os tripulantes Nestor, Mantêga e Sereno, seguem a bordo de uma grande aventura que tem o riso e a crítica são o ponto de fundo. Uma velha matéria de jornal e um penico – que é signo e extensão do corpo do ator – e partida para um mergulho nas surpresas, paixões, alegrias e tristezas presentes na narrativa.
20h30 Censo Coletivo AcquaNon Música, Dança, Teatro Proposta
O espetáculo é embasado no método de ações físicas do teatro contemporâneo baseado em Stanislavsk, as quais, por sua vez, transmitem o espírito interior do papel que está sendo interpretado, sendo elas abastecidas pela vida e pela imaginação que as atrizes emprestam a personagens. A sonoplastia ao vivo foi a forma ideal para se ajustar plenamente a natureza do espetáculo que se desenvolve na trama de duas personas, uma mais velha e traída e outra amante e mais nova, as quais mudam de humor várias vezes durante a encenação.
Sinopse
Edna é ex-mulher de um espanhol que a traiu por uma mulher mais jovem chamada Sueli. Duas mulheres e somente um homem. O que uma mulher é capaz de fazer quando é traída? Durante uma entrevista do IBGE você descobrirá.
20h45 Longe de Casa Coletivo Senara Teatro Dois amigos de infância se veem no meio de uma guerra, a brincadeira de criança (ser soldado) agora é uma situação real. Em casa, ficaram a tranquilidade, os planos para o futuro e o amor por suas namoradas. Será que eles vão conseguir sair dessa? O que será que o destino reservou para esses rapazes longe de casa?
21h30 Cidade sem Nome Lukas Nóbrega Teatro A cidade pulsa. Sua vida vem da multidão de anônimos que a ocupam: um casal de amantes, uma jovem que foge de um assalto, uma velhinha, um pai expulso de casa pela família, algumas mulheres e vendedores. Personagens fugazes que se encontram e desencontram no decorrer do dia. Cada um deles um universo, uma faceta dessa cidade sem nome.
22h Woyzeck Cia Teatro Mosca Teatro Considerada a obra-prima de Büchner, contendo elementos que apareceriam
na dramaturgia mundial apenas durante as vanguardas do século XX,
Woyzeck nos traz a trajetória de Friedrich Johann Franz Woyzeck, um
soldado, trabalhador e dedicado à mulher, Maria, e ao filho pequeno. O
ponto central da obra é a relação de Woyzeck com as pressões impostas a
ele por seu mundo circundante, fortemente representado nas figuras do
Capitão, com sua moral de guerra e do Médico, de quem Woyzeck é cobaia
em experiências médicas quase macabras. Em comemoração ao bicentenário
de nascimento do autor alemão, a Cia Teatro Mosca propõe uma releitura
do clássico tendo como ponto de partida elementos da cultura Punk e do
Death Metal.
23h30 Carícias Webster Macedo Teatro, Performance -Um casal que permanece arruinado com a certeza do desconhecido em suas vidas, resolve se digladiar numa tentativa de amenizar sua rotina distorcida onde a reminiscência de dores do passado se voltam a todo instante.
O texto é uma adaptação livre da obra de Sergi Belbel, onde se revela um fragmento do espetáculo, que visa entender o ser humano em suas imperfeições. Revela-se a violência gratuita existente no intimo do homem, condicionado por necessidades falsas. É uma leitura sobre a vida e os seus relacionamentos.
0h Intento Dario Ferreira de Albuquerque Dança, Teatro, Performance, Instalação A tentativa de acerto de memória que não se faz esquecer. Uma composição de acontecimentos em tempo presente de uma história passada. A história de um encontro entre duas pessoas, aquela que diz e aquele que escuta. Uma biografia de um vida através do gesto. Um corpo que conta.
0h15 Dona Coisa Cíntia Viana Dança Quem é a Dona Coisa?
Pode ser eu?
Pode ser você?
Pode ser alguém que virá?
Pode ser alguém que já existiu?
Pode simplesmente não ser…Não sei…
Só sei que no meio de tantas coisas…
Talvez ela seja alguma delas…
0h30 O Tempo de um Cigarro Grupo Panelinha de Teatro Dança, Teatro, Performance, Poesia Desejos, inspiração, devaneio, delírios, loucura, momentos de respiração, fluxo, repetições, fumaça, microfones, pausa, pausa, pausa, repetições, inspiração, delírios, desejo, faltas de ar, cigarro, outro cigarro, repetições, fluxo, desejo, isqueiro, relógio, segundos,
minutos, horas, dias, semanas, meses… Cigarro, desejo, fluxo,
microfones, pausa, cigarro, café, café, desejos, papel em branco, papeis no chão, quadro, fumaça, pensamentos, momentos de…
Cigarro! Tempo! Desejo! Não, não… Não, não… Não, não… Não, não… NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOO! Um homem com um dilema: Fumar ou não fumar? E ele (…)
1h15 z. abis sal Thales Luz , André Feitosa Performance Fechar os olhos não significa uma falta de potência em ver. Ao contrário, para Giorgio Agamben fechar os olhos é recuperar o aspecto da impotencialidade que constitui todo e qualquer potencial humano.
Nós fechamos os olhos para ver o escuro, um escuro inalienável: escuro de não ser e escuro de não fazer; lugar de sombra onde se encontra outro tempo presente.
Assim, dois performers, em um ambiente iluminado por poucos pontos de luz, mostram nas zonas não iluminadas a sua queda em um estado de sombra de gelo e de sal.
2h15 Souvenir Dario Ferreira de Albuquerque, Keven Rocha,
Ivens Renor
Dança, Performance Colar o ‘outro na pele, vestir-se e despir-se de identidade, como se fosse uma colagem de gestos e ações que estão guardado no corpo-memória. O que somos, e o que desejamos ser, a realidade e a fantasia
indicando o desejo de algo. que procura se completar no encontro com Um colecionador de sensações que procura se completar no encontro com o outro. Na tentativa de recriar a si mesmo.
3h Ressurreição Morte Vida Centro de Experimentações em Movimentos – CEM Dança, Teatro, Performance, Instalação, Poesia O grupo Cem (Centro de Experimentações em Movimentos) criado em 2002 atua na cena cearense, abordando questões que aproximam-se das relações pessoais como material de composição para a cena. Em maio de 2013 o grupo completaria 11 anos, mas não houveram comemorações. A presença, o movimento, o contato, o outro não foram possíveis.

É com essa inquietação que iniciamos uma vontade de estar novamente juntos, dançando. A dificuldade de viver em grupo, de ser um grupo e também, até que ponto, a relação entre a vida e arte se separa ou não.

Utilizando a ideia de ressurreição, morte e vida como disparador para a composição, em formato instalativo, compartilhamos de trás para frente a experiência de reafirmarmos juntos um compromisso. Propondo uma reutilização do sentido contido nas peças coreográficas do grupo e como isso modificou durante o tempo, além do surgimento do novo.

É no novo que Ressurreição Morte Vida se dá.

4h Os Zé Manifestando Os Zé Comédia Comédia Stand-up Um show de Stand-up Comedy, gênero de humor que mais cresce no Brasil. Durante 1 hora Os Zé Comédia (Darlison Rodrigues, Fariston Marvin, Nairton Santos, Rodrigo Rodrigues) vão causar muitas risadas com um humor inteligente, critico e inusitado, fazendo piadas do cotidiano e experiências pessoais. Antes de formar esse grupo eles já apresentaram em vários teatros da cidade como Teatro Chico Anysio, Teatro SESC Emiliano Queiroz no projeto Quarta do Riso, Teatro Morro do Ouro anexo do Theatro José de Alencar e participações em festivais de humor como o maior festival do nordeste, Festival Só Pra Rir e festivais do estado, FestHumor e o X Festival de Humor Cearense. Como grupo fizeram o Espetáculo Os Zé no Morro, no Theatro José de Alencar no Anexo Morro do Ouro.
Espaço Planetário
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
14h Manifeste-se, faça um zine! Ben`kelé e Lii Oficina Nossa proposta tem como objetivo principal, criar de forma espontânea e prazerosa, um registro vivo dos manifestantes (oficiais e não oficiais) através de um veículo amplamente livre de censura: o zine. Nesse sentido, a construção de um zine coletivo “polifônico” mostra-se como uma estratégia de não só documentar uma cena viva, mas evidenciar que todos (inclusive os não manifestantes)compõe um coletivo de ação e expressão cultural.
O zine é uma experiência da autonomia diante das narrativas culturais dominantes e/ou do conhecimento acumulado das instituições burocráticas e de ensino. Ele é ao mesmo tempo afirmativo (pois que valoriza o “faça você mesmo”) e também político (visto que pensa e reflete a realidade a partir de algo concreto e não teórico ou abstrato). O zine “movimenta uma cena” e seu veículo é emocional.
Desse modo, queremos criar um zine etnográfico, feito de sons, palavras, cores, subjetividades, cotidiano, vozes, dentro de um cenário estimulante e propício que é o Manifesta!
20h30 A flor da pele Max Uchoa Artes Plásticas, Fotografia, Instalação, Happening A Flor da Pele busca uma expressão mais ampla do desenho e da pintura em um desdobramento visual contemporâneo, aproximando contato do observador com a obra utilizando-se de recursos digitais e gráficos, com pintura corporal, happening, fotografia e projeção. Tudo de forma simultânea, dada inicialmente pelo convite as pessoas interessadas em emprestar seu corpo, sua pele e seus sentimentos. Para a realização dessa intervenção o convidado deverá assinar um contrato de autorização do uso da imagem para fins artísticos não comerciais, após essa formalização, artista e convidado conversarão brevemente sobre que sentimentos o fazem ficar a flor da pele, as cores que marcam esse sentimento, elementos que junto com o artista serão escolhidos para compor a paixão, decepção, amor, saudade, raiva, desejo… Após assinar o contrato, começara o processo de pintura basicamente facial e busto, transportando para a pele do modelo em traços e cores a emoção despertada durante a conversa e em seguida o modelo será fotografado, logo após a fotografia passa por vários processos: primeiramente será impressa e entregue ao modelo e simultaneamente será projetada em grande dimensão sobre uma parede como apresentação do resultado final.
21h30 Patrícia Gabriela Jardim Circo Patricia é um numero que, através da linguagem circense, busca transmite a dinâmica entre mulheres de um mesmo grupo social onde estas se anulam ao mesmo tempo em que necessitam umas das outras.
21h45 Mulheres Sobre a Paixão coletivo mulheres Dança, Teatro Mulher amada, desarmada, Amélia derretida, reinventada.
De salto, aos saltos se renova a mulher.
Contemporâneo amor que ora se entrega, ora se nega. Se regenera.
Mulher de Atenas moderna, deusa do cotidiano, Eva apaixonada.
Das fases, faces, disfarces, exercícios para ser mulher.
22h Casario do Centro Histórico de Fortaleza Vicente de Paulo Fotografia, Literatura Proposta de exposição de fotografias, leituras de trechos poéticos em diálogos abertos Distribuição de livros que integram o Projeto de pesquisa intitulado Casario do Centro Histórico de Fortaleza. O Projeto foi prêmio de fotografia do Edital das Artes 2011 – SECULTFOR. Como resultado conclusivo do Projeto de Pesquisa realizou-se a confecção de um livro com imagens da Casario do Centro Histórico de Fortaleza e textos produzidos durante o percurso de captura das imagens. Além da exposição de 50 imagens via multimídia, pretendemos distribuir ao público visitante 100 exemplares da obra. Durante a exposição faremos pequenas intervenções com leituras dos trechos do livro e diálogos abertos sobre a questão do patrimônio histórico da cidade de Fortaleza.
22h30 Mandala #Corpóreos Dança Mandala é cor, corpo, vibração e movimento.
Mandala é arte que se finda nela mesma.
É espaço sagrado que retorna em suas possibilidades de dança.
Mandala é círculo cujo centro está em constante movimento.
Mandala é uma contemplação do aqui e do agora.
É abrigo e criação de espaço e temporalidades.Mandala é o novo trabalho do #Corpóreos
22h45 Tritongo do Tempo Tritongo do Tempo Dança Tempo: memória, presente e expectação. Esse conceito de Santo Agostinho foi mote para este trabalho que surgiu da disciplina “Dança e Pensamento: passagens” do Curso de Licenciatura em Dança da Universidade Federal do Ceará – UFC.
Pensar que o tempo se constitui memória, presente e expectação num mesmo instante, o presente, nos permite fazer analogia à reunião de três vogais numa mesma sílaba a fim de constituí-la. “Tritongo do Tempo” trata da passagem das coisas, do movimento da matéria, do tempo que passa e fica e de suas subjetividades. Pensa as indefinições do passado e do futuro quando se confundem no presente. É movimento do tempo no mundo.
23h Mostra Animações Diego Akel Cinema Exibição dos filmes: Linhas e Espirais 2min16
Faróis 1min22
Neuro Tv 1min
Manifestdo da Animação Total 1min21
Epileptico-Mídia 1min58
23h30 A Megera Domada Paula Botafogo Teatro A trama, relativamente simples, teria sido coletada por Shakespeare de antigos contos da tradição oral e diz respeito a um pai, Batista, que estabelece como condição para ceder a mão de sua filha mais jovem, a bela e doce Bianca, aos possíveis pretendentes, que sua filha mais velha, a megera Catarina, consiga antes um esposo. Bianca tem não menos que três pretendentes – Grêmio, Hortêncio e Lucêncio, este último um jovem forasteiro que chega à cidade de Pádua e enamora-se de imediato por Bianca. Os dois primeiros, rivais nas pretensões de casar-se com Bianca, fazem um acordo para conseguir um marido para Catarina e, assim, deixar livre o caminho para seguirem em sua disputa amorosa. Petrúquio, um nobre falido de Verona, chega à cidade em busca de um bom casamento e apaixona-se pela ideia de se casar com Catarina, proposta feita a ele por seu amigo Hortêncio.
Aparentemente contra a vontade da moça, o casamento de Catarina e Petrúquio é realizado e ambos voltam para Verona, onde o esposo, impondo algumas privações e um tanto de mau humor à nova esposa, termina por amansá-la. Após diversas peripécias, dentre as quais o disfarce dos rivais em professores de música e retórica para que pudessem fazer a corte à jovem Bianca, Lucêncio e Bianca casam-se, em segredo; Batista e Vicêncio, pai de Lucêncio, terminam por aceitar o casamento dos jovens e, ao final, Petrúquio prova a todos que Catarina tornou-se uma esposa mais obediente que a doce Bianca.
0h45 Mostra Repertório Descoletivo Descoletivo Fotografia, Instalação O Descoletivo, proponente da obra, é um coletivo de fotógrafos que toma o corpo como foco de seus estudos e pesquisas e vem desenvolvendo ensaios e experimentações fotográficas, inserindo nesse contexto outras linguagens como a performance. Criado por Marília Oliveira e Régis Amora, sua filosofia é de agregar outros artistas como convidados para pesquisa e execução de trabalhos com interesses em comum.
Para o Manifesta, o Descoletivo propõe, além da série Deslocamentos, uma Mostra Repertório onde será apresentado um panorama geral das produções, experimentações e pesquisas em fotografia realizados até agora com o tema Corpo e as inquietações advindas deste tema, enfrentadas pelos integrantes do Descoletivo.
1h Cale-se Seres de Teatro Teatro Buscando um dialogo entre arte, performance e manifesto buscamos tentar entender o que foi que aconteceu em uma época onde as bocas foram caladas.
Cale-se é uma performance onde tenta-se expor uma face esquecida na história do nosso Brasil. A Ditadura Militar se Poe como tema base de discussão e pesquisa dos envolvidos.
O grito e a vontade de falar são as principais forças motrizes da performance.
Mostramos a luta e a sedução de muitos em dizer a verdade diante do medo da tortura.
As botas dos militares escondem o medo, a opressão, a repulsa e a dor, que cala bocas que premem de vontade de falar.
Usamos o simbolismo para falar da censura, da violência brutal e da falta de tolerância e sentimento,expressas em prisões ilegais, torturas e assassinatos dando voz a historia que prefere ser esconder e que se imprime como uma página constrangedora da historia brasileira.
Nisso juntamos a vontade de falar dos artistas da época com a vontade de manifesto dos artistas atuais, somados ao grito escondido das vitimas de torturas de uma face onde os brasileiros apenas buscam saber a verdade.
1h15 Ressurreição Morte Vida Centro de Experimentações em Movimentos – CEM Dança, Teatro, Performance, Instalação, Poesia O grupo Cem (Centro de Experimentações em Movimentos) criado em 2002 atua na cena cearense, abordando questões que aproximam-se das relações pessoais como material de composição para a cena. Em maio de 2013 o grupo completaria 11 anos, mas não houveram comemorações. A presença, o movimento, o contato, o outro não foram possíveis.

É com essa inquietação que iniciamos uma vontade de estar novamente juntos, dançando. A dificuldade de viver em grupo, de ser um grupo e também, até que ponto, a relação entre a vida e arte se separa ou não.

Utilizando a ideia de ressurreição, morte e vida como disparador para a composição, em formato instalativo, compartilhamos de trás para frente a experiência de reafirmarmos juntos um compromisso. Propondo uma reutilização do sentido contido nas peças coreográficas do grupo e como isso modificou durante o tempo, além do surgimento do novo.

É no novo que Ressurreição Morte Vida se dá.

1h45 O centro invisível – video instalação Coisas Nossas – Escrever Imagens Cinema / Vídeo, Artes Plásticas, Poesia O trabalho consiste de uma video instalação entorno de ações performaticas na cidade de Fortaleza, desdobramento de video documentário feito no projeto Rumos Itau. A partir dos ruidos e da falta de memória de Fortaleza é que construimos nossa ação.
2h30 Sumidouro William Pereira Monte Dança, Performance, Instalação A criação composicional iniciou-se a partir do pensamento do corpo-incógnita que mostra ligações entre o humano e o inumano. Essas ligações levaram a questão do que é orgânico ou inorgânico, bem como seria este corpo compondo uma nova organicidade. A partir do pensamento de formas de movimentos que geram um imaginário no espectador, levar, a partir do corpo, uma constituição dramatúrgica que liga (e questiona) a ligação entre homem e natureza. Passando entre o visível e o invisível, compor gestos que desdobram a relação entre os sujeitos – o relacionar-se, estar próximo.
O uso da imagem surge na perspectiva de continuidade de sentido, passando para o espectador uma multiciplidade de corpos iguais que conversam-dançam conversas distintas. Com projeções de vídeo em distintas perspectivas, mostrar a mesma dança, no mesmo corpo, contudo questionando o olhar do espectador para a atenção dele com o vídeo. Um jogo de interação e proximidade do corpo-vídeo, tentando apresentar para o espectador uma relação.
Através da criação de sensações – barulho do mar, água que cai no chão, frio excessivo ou ainda a formação de desenhos no chão –, levar o espectador a um questionamento do lugar que está inserido e ainda de como é possível pensar novos caminhos. Um corpo que move, ora na linha do olhar de quem assiste, ora não, levando o olhar na decisão da desistência e da busca do corpo que retorna.
3h15 Rascunho nº1 Mairton Backing Dança Rascunho nº1 é uma concepção de dança que tem como objetivo o movimento como processo, designando um deslocamento, uma transformação. Investigando o corpo que possui uma sintaxe própria e cada indivíduo necessita conhecer a sua, para através dela proporcionar melhorias e transformações ao próprio corpo.
3h30 Corpo Curioso – Processo Projeto Corpo Curioso Dança, Performance, Cinema / Vídeo, Instalação A maior questão do trabalho é a investigação para a construção de um corpo que performa (atua) para a câmera. Um corpo cheio de energia, de presença cênica, um corpo cênico. Um ser que, através das ações, faz com seu corpo consiga afetar e se deixar ser afetado. Tocar algo dentro de outra pessoa. Pode despertar um sentimento, trazer uma reminiscência, causar calafrio ou levar o outro a rir descontroladamente. A busca é por construir esse corpo. A instigação aqui é arquitetar experiências que deem base para que esse indivíduo tenha um circuito de relação com o mundo.

Ou seja, pensar as performances “abraçar”. “correr” e “dançar” como possibilidades desse circuito de relação. Através desses três verbos, de vivê-los, construir uma base para o performar para a câmera. As performances servem de “laboratório”, “preparação” de ator/performer, e seu registros envolvem as linguagens do audiovisual e da instalação.

Espaço Multiuso
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
18h às 06h O céu e a terra Ivna Magalhães Artes Plásticas É um trabalho de artes visuais, composto por dois quadros criados de forma livre e abstrata. A proposta é fazer referência a Natureza, no caso o Céu primeiramente e a Terra em seguida, como espaços que são essenciais para existência da vida em nosso Planeta. O céu com suas nuvens de água que abriga o sol e proporciona a vida na terra de barro com suas folhas verdes, onde brotam flores e frutos que dão continuidade ao nosso ciclo natural e existencial. São quadros abstratos, feitos com a técnica do giz de cera queimado no fogo, que representa a transformação.
Olhar no Oriente Jo A-mi Artes Plásticas apresentação de quadros em telas, madeiras e papel para serem expostos em curto espaço, cuja temática é a cultura oriental. As pinturas apresentam motivos culturais japoneses, tibetanos e chineses, todos pintados e desenhados com traços e linhas delicadas; cores e luzes quentes.
Homens e feras Lira Dutra Artes Plásticas Tecnica(s): acrilica, oléo sobre tela
Quantidade: 2 obras
Dimensões: 50×40
Desenho em Estilo Mangá May Artes Plásticas Desenhos e técnicas de desenhos em estilo mangá
Ilustração Rafaelle Santhiago Artes Plásticas Técnica: Lápis aquarelável, cravão, grafite.
Quantidade: De 5 à 7 no máximo
Materiais: Sulfite, Canson e Kraft
Exposição Ilinhado: Contínuo Pedro Augusto Araripe Artes Plásticas “Ilinhado” é um conceito usado pelo ilustrador Pedro Augusto Araripe que consiste em demonstrar o valor de permitir que as coisas tenham sua continuidade através do desenho de linhas que se cruzam, oscilam e se permitem continuar, causando a quem vê uma reflexão de como as limitações que nós mesmos criamos podem fazer nossa linha da vida parar no tempo.
É pau, é pedra é o início do caminho.. Sal Artes Plásticas Arte e vida sobressaem dos mais indefinidos lugares, da viagem de criar, das ilusões afloradas na ontologia do artista. Nessa perspectiva inovadora dos entre – lugares, nas fronteiras culturais, quanto lugar de partida e de hibridismo cultural. Nessa linha de reconstrução de uma consciência coletiva e de inovação. Em pleno fervor político, Sal inicia em 2013, o projeto “Verticalização do asfalto”. Futurista, cria as primeiras peças que compõe a exposição. O povo que se ergue. Uma ressurgência manifesta. Do asfalto cortado e abandonado pela CAGECE a inspiração diante de uma matéria escarnia. Agrega valor artístico, cultural e socioambiental, reaproveitando uma matéria nociva a saúde humana e global. Oriunda do petróleo, fruto da ganância e guerra entre nações em sua origem. Perde valor monetário para oferecer à sociedade capitalista, que protagoniza a destruição ambiental. Comparando-se ao ser pleno, segundo muitos, filho de Deus lançado a própria sorte numa calçada da vida, ou em presídios com clamores cristãos pelo seu extermínio. A proposta é a livre expressão de pensar e interpretar a sua arte, munido de sensibilidade e carregada de simbolismos. Traz um forte apelo antropocêntrico, o Povo Verticalizado no gênero e acessibilidade. Tal ideia, encontra-se no conjunto da obra do artista, com certa naturalidade.
São 15 (quinze) peças de 65×54 cm cada entre esculturas e pinturas.
Pintura performance: Tropicolores. Vitor Batista Artes Visuais Pintura performance do artista visual Vitor Batista (www.blogzdovitor.blogspot.com) que explora relações do corpo com a natureza e as cores assim como do ambiente inserido.”
Lounge
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artísica Descrição
18h às 6h Ideias, segredos e mazelas cotidianas Sob o Domínio do Poço Música, Cinema / Vídeo, Artes Plásticas, Poesia, Literatura Uma mesa para exposição e distribuição da revista Sob o domínio do poço, exposição de desenhos artísticos autorais feitos à mão com bico de pena e tinta nankim. Dois banners de 200 cm por 100 cm e murais artesanais de 120 por 80 cm Distribuição de poemas e textos ilustrados em locais estratégicos fazendo uma espécie de interferência e contraste com os espaços urbanos disponibilizados. Projetor e telão Exibição de vídeos poemas, filmados e editados pelo próprio coletivo. Caixa amplificada para apresentação individual e sonorização do coletivo.
“O que (eu)quero e o que(eu) não quero” – substrato póetico Socorro Souza Instalação Inscrições poéticas com batom vermelho em peças de vestuários;
05 peças do vestuário feminino( blusas transparentes) com inscrições feitas com batom vermelho e apresentadas penduradas em cordão
Eroticotidiano – Quadros de Amor pela Cidade Coletivo Gerimoon Artes Plásticas, Instalação, Quadrinhos O Coletivo Gerimoon é um grupo novo que procura levar os quadrinhos a outros níveis de apreciação. Formado por integrantes, ex-integrantes, monitores e professores do projeto de extensão Oficina de Quadrinhos da Universidade Federal do Ceará, o grupo pretende, com essa proposta, levar a série de tirinha Eroticotidiano para os muros da cidade.

Eroticotidiano é uma série de tirinhas que contam, em poucos quadros, grandes histórias de amor. Pensado como forma de evidenciar as belezas que a simplicidade de um relacionamento possui, a série une diversos estilos de diferentes autores, contando momentos e desventuras que faz do amor algo digno de ser vivido.

Olhar e Luz Sara Café Aguiar Fotografia, Poesia, Literatura O projeto “Olhar e Luz” visa produzir uma exposição fotográfica para divulgar as belas imagens da nossa região. O objetivo é divulgar as fotografias sob uma ótica diferenciada e inédita, evidenciando as três características geográficas principais da nossa região: serra, sertão e litoral. O projeto consta de 20 fotografias do Estado do Ceará. Devido à extensão territorial e a existência de muitas cidades no nosso Estado, ainda não foi possível fotografar todos os municípios. Por isso, houve uma seleção prévia das principais cidades que reúnem os critérios citados anteriormente. A motivação para a idealização deste projeto, se deu pelo amplo desejo de fotografar lugares e paisagens do Ceará e também pelo caráter jornalístico inerente a função do fotógrafo e dessa maneira mostrar estes lugares, ora esquecidos pela população e fora dos famosos circuitos turísticos do Estado. Além de registrar as belezas naturais, o projeto também tem um forte cunho educativo e social, dando uma maior visibilidade às desigualdades sociais, levantando indagações sobre as questões ambientais e enaltecer debates e discussões de como toda a população cearense pode ajudar a construir um estado mais justo e sustentável. Tem-se também a própria questão artística do fotografar, além da questão histórica da imagem.
Desapegados Grupo Acquanon Artes Plásticas, Fotografia Desapegados é um trabalho fotográfico composto por 10 fotos de pessoas com seus objetos de mais apego. Elas posam para a foto segurando o objeto em duas posições e com a técnica de sobrexposição se cria nas imagens movimentos muito reais e por vezes psicodélicos, expressando o sentimento real que as pessoas sentem pelos objetos.
As fotos estarão disponíveis em dois cavaletes. Para que as pessoas observem o trabalho, elas terão que se sentar ou se abaixar, saindo assim da zona de conforto. Haverá, portanto, uma almofada na frente de cada cavalete para que o público sente e aprecie e assim assuma sem perceber a posição de meditador. O trabalho propõem ao público uma reflexão sobre os apegos incondicionais a determinados objetos, propondo assim uma mudança na perspectiva de encarar o apego.
/
Quando o apego é demais? Desfazer-se do objeto as vezes pode ser difícil. Desapegados mostra uma série de fotos de pessoas com os seus objetos preferidos em expressões fantásticas. Estar desapegado é estar mais solto e menos preocupado. Entretanto, não é preciso renunciar a tudo, mas sim ter uma relação – mais relaxada e não tensa – com os mundos interno e externo.
O Centro invisivel – fotografia ou enquadros Coisas nossas – escrever imagens Performance, Artes Plásticas, Fotografia, Poesia Exposição fotografica que versa sobre a invisibilidade de Fortaleza, fruto de um webdocumentário selecionado no projeto rumus itau.

São seres visuais e poemas imageticos sobre uma cidade que não queremos ver, ou que vai sobrevivendo em cicatrizes de memórias.

Olhar e Não Ver Wladina Fernandes Fotografia Olhar e não ver .
Transparecer através de um meio fisico para um abstrato , a sensibilidade da alma e do que se viveu,vive , viverá .
Símbolo do cotidiano de cidade interiorana e urbana difundida ao sereno dia , em contraste com a labuta do homem globalizado .
Identificação de como o homem se coloca como objeto na projeção de pensamentos e reviravoltas internas .
Série em que o ser é o principal foco , fazendo com que o observador identifique-se concluindo da obra a fusão de seu conhecimento de mundo e a proposta da fotógrafa .
Ponha os pés na duna Paulo Winz Fotografia Nas mais diversas situações, desde as mais simples, observamos o quanto as pessoas estão desconectadas de contato com espaços naturais como o simples fato de caminhar em dunas ser substituído por passear com veículos por cima das mesmas.
Propõe-se uma experiência simples de observar uma imagem dentro de uma caixa de areia e cada um faz sua escolha de observar de pés descalços ou com seus tênis e sandálias de borracha.
O eu em outras formas Patrícia R. Cavalcante Fotografia, Poesia, Literatura Minha proposta resume-se em mostrar meu trabalho com fotografia e junto, meu trabalho de poetisa, cronista, contista. Se alguém gostar, massa! Se não, paciência, se nem Jesus agradou a gregos e troianos (ops, acho que enrolei a história), imagina eu, um ser que veio à esse mundo apenas pra viver, que odeia rotina, que ama jogar baseball, que é bibliotecária (Sim, amo livros, não, não me peça sugestões a torto e a direito, Please!!!), e é isso! Quero expor no máximo 15 fotos, de dimensão 20×30, pretendo levar umas 5 poesias oun mais, 2 crônicas ou mais 2, 3 contos talvez, então a dimensão seria determinada por vocês, se eu for selecionada e se não for pedir muito, pois eu sou péssima nisso.
Vaca Fernanda Leal Performance e Fotografia O ensaio fotográfico nasceu da performance de Marcelle Louzada, intitulada “Vaca”, que faz um paralelo entre o corpo feminino e o corpo da vaca, o consumo em excesso de carne animal em uma espécie de zoo-performance. O ensaio foi produzido em um pasto, de propriedade particular no bairro de Messejana.
Ensaios sobre fotografia e performance Paulo Winz Fotografia/Performance Projeção de imagens realizadas no ceará abordando o hibridismo entre fotografia e performance.
Francisco e eu Marília Oliveira Fotografia, vídeo “Francisco e eu” é uma obra mista composta por 15 fotografias, ampliadas e posteriormente modificadas por intervenção com fogo – cada peça em tamanho 40×30 cm. Em paralelo á exposição fotográfica, há a exibição de vídeos com o registro das intervenções nas fotografias, com duração de 5 minutos.
RuArte Fidelity Produções e Imagens Fotografia Exposição estilo ‘varal’ com papel cartolina preta como fundo da imagem e espaço para créditos da foto ou suporte para fotografia externa. Luz ambiente durante o dia, e luz direta no período da noite. Necessária ajuda de custo para impressão das fotografias.
Um olhar de baixo Lania Maria Fotografia Minha proposta vem do resultado de saídas fotográficas do curso de Fotojornalismo (concluindo) no Cuca che guevara – Barra do Ceará.

Gostaria que fosse em um local aberto onde tivessem pessoas de classes diferentes,crianças e pessoas que possam estar passando ali sem nenhum compromisso.Pretendo levar um olhar meu à as pessoas não com uma mensagem direta,de uma forma subjetiva fazer os pessoa olharem para onde não costumam olhar.Um olhar de baixo.
Espaço aberto com disponibilidade para colocar nove quadros em tamanhos 20 x 30 com espaçamento entre eles no minimo 70 cm.Serão colocados distribuídos de forma aleatória,uns mais em cima e outros mais embaixos.Gostaria que a exposição começasse no final de uma manhã e ficasse té ao final da noite,ex:10:00 às 22:00.Pois acredito que nesse horário é onde pode estar o público alvo desejado.

Beleza Urbana Liezio Gomes Fotografia Apresentação em fotos, em PVC, com registro das belezas urbanas.
19h30 Lançamento do novo website TEMBIÚ – Alimento de Alma Coletivo Tembiú plataforma de interação entre artistas, produtores, gestores e público O projeto aqui apresentado propõe o lançamento do novo website tembiú (tembiu.pro.br), com uma nova abordagem para o layout e principalmente para a linha editorial, focando-a na promoção e fortalecimento do fazer cultural em Fortaleza (CE). Aproveitando o público já envolvido no site e toda a sua visibilidade obtida em 10 anos, esta nova proposta coloca o Tembiú e sua comunicação na web em função de companhias, artistas, grupos, pesquisadores, produtores, gestores, críticos e formadores que atuam na área cultural, colaborando na produção artística em Fortaleza e em sua difusão para a própria cidade e outras regiões.

Dentre as ações do novo site Tembiú, destacam-se: a produção e veiculação no site de artigos específicos que se relacionem com a produção artística em Fortaleza, escritos por especialistas; produção e manutenção de um Guia Cultural, reunindo informações sobre espaços culturais, salas de espetáculos, companhias, artistas e atividades ligadas à cultura na cidade; divulgação ampla e especializada de espetáculos e eventos culturais, especialmente os realizados em Fortaleza; entrevistas com o público e com profissionais da cultura (vídeo e áudio); indicação de livros e vídeos essenciais para o fazer teatral; networking com outras experiências semelhantes em diversas regiões do país.

Lançar o novo site no ManiFesta! nos parece oportuno, pois trata-se de um site que valoriza, promove e potencializa o que se produz em cultura em Fortaleza, tal e qual o ManiFesta!

20h A Carne Macia do Coração Leon Rego Performance A Carne Macia do Coração é o corpo soterrado com balões vermelhos cheios de água. O balão cheio do tamanho da palma da mão de um adulto pode parecer um coração, mas que a qualquer momento pode estourar.
20h30 Brandão Ronaldo Barreto Cinema / Vídeo O filme conta a carreira do desenhista cearense Daniel Brandão, quando decide abandonar a faculdade de Direito em prol do sonho de trabalhar com histórias em quadrinhos. A sua trajetória vai ao encontro de momentos importantes da história da nona arte cearense; como a Oficina de Quadrinhos da Universidade Federal do Ceará, a criação da revista do super-herói Capitão Rapadura e a projeção do fanzine Manicomics, vencedor do HQ Mix.
22h Circus
Quando o Cinema se Desfaz em Fotogramas
Solon Ribeiro Cinema Exibição de filmes
22h45 Duas Avenidas Diogenes Lopes Cinema Uma história de comparações que um menino faz a respeito de dois lugares em Fortaleza – Ce. Um onde ele vive e construiu laços, esse ocupado por casas; outro onde trabalha ajudando o pai, esse ocupado por prédios. É narrando seus percursos por estes lugares que o personagem revela uma inquietação.
23h Puntos Suspensivos – 1 Paulo Winz Cinema Videodança realizado na Praia de Peroba – CE, no ano de 2013.
23h30 Lumiá construindo seus esquemas imagéticos. Paulo Bocão Cinema Uma narrativa que fragmenta a experiencia de uma criança. Recortes das cinestesias que ela vivencia desde a barriga de sua mãe e a contribuição disto para sua caminhada rumo a linguagem.
0h15 Desvios Marcelle Louzada Cinema Videodança realizado a partir de intervenção urbana utilizando barcos de papel
Arena Praça Verde
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
14h Multicosmo Tiba Oficina, Performance, Instalação Instalação esférica interativa onde as pessoas podem livremente entrar ou escalar, na busca por novos pontos de vista e de equilíbrio. Multicosmo é um meio, uma nave, vários eus diversos se divertindo, rolando pelo espaço, projetando um mundo de ponta cabeça.
Estrutura geodésica em bambu 2,40m.
19h Classis radicalis uma aula radical Tetê Macambira Teatro Esquete. Um monólogo de alguém se preparando para ministrar/ explanar uma aula sobre o que seja o Teatro Radical de Ricardo Guilherme.
No processo, dúvidas e incertezas pontuando.
19h45 Menino corredor e Assim, pois, eu Filipe Acácio Cinema Menino corredor
Vídeo 1′
Eu, menino corredor, nunca sei se vou ou se volto.Assim, pois, eu
Vídeo 3’40”
Uma fotografia que se desfaz em branco.
20h30 Experimento Marcus Martins Performance Trata-se de uma intervenção artística. A Performance aborda uma crítica a sociedade onde as pessoas não ligam mais para as sensações, só se preocupam com a corredria do dia a dia, esquecendo de elaborar em si o amor, sentimento de pulsação da vida.
22h15 E que o Cú Paulo Winz Cinema A partir das problemáticas da cidade observamos que o espaço de parques e áreas naturais vão sempre dando espaço ao des(envolvimento) de construções civis com o pretexto de melhorias para a cidade.

E que o Cú é inspirado no conflito na construção de dois viadutos que resultou no desmatamento irregular de uma área do Parque do Cocó. O video foi realizado com participação de Evan Teixeira, Guilherme Bruno e Marcelle Louzada ocupando o Parque para criações artísticas.

22h30 Centauro/ Aos Porcos Marina de Botas Cinema Exibição de filmes
2315 Dança para quase teatros Marcelle Louzada Cinema Videodança realizado a partir de residência artística no Ponto de Cultura Balé de Rua, Uberlândia, interior de Minas Gerais, envolvendo corpo e cidade.
0h Formigas Jeferson Tinoco, Rogeane Oliveira,
Luis Carlos Shinoda
Teatro, Performance Três homens no limite da vida, limite de uma loucura sã, prontos a se jogar. Jogar para vida, jogar para morte, jogar-se a algum lugar.

O esquete traz de forma bruta e sacal o homem no seu próprio limite. Fazendo com que a atuação se interligue com a cena. O ator buscando através da pré-expressividade um diálogo direto com o próprio personagem, indo de encontro com fatos e discursos encobertos durante uma vida fátua.

0h45 (en)linhas (há)2 Dança A proposta do trabalho (que está em processo) é experimentar os encontros dos corpos quando esses se cruzam e o que pode ser construído e desdobrado a partir disso. Também nos interessa perceber como esse encontro nos afeta e nos ajuda a construir essa movimentação. A ideia é que num ir e vir de duas pessoas, que andam em linha reta, o encontro se dê num ato repentino, como se entrelaçassem, “enlinhassem” e “desenlinhassem”, alinhando-se novamente, mas como outro estado corporal devido o afeto criado pelo encontro. Nesse trabalho o único som é o do próprio movimento.
1h30 tolimnda.vouferver.ahazeinobatom.jpg Gabriel Matos Cinema Um processo virtual de preparação para sair na noite. A Partir da imagem apresentada na performance #TRACEaFACE de Tutunho.
2h30 Eu ou Admirador de Si William Axel Performance Eu ou Admirador de Si é uma investigação poética do corpo para com a estética. A partir do mito de Narciso e com a indagação de um padrão de beleza imposto pela sociedade o Eu vem trazer uma reflexão para a aceitação de si, sem se importar com o que lhe é imposto para se adequar nessa sociedade de “moda”.
3h15 Desdita! Marcelle Louzada Performance Videodepoimento sobre parâmetros da performance nacional
4h Corpo Lixo Cidade Silvia Moura Dança Deriva pelas ruas da cidade compondo paisagens em movimento entre corpo, lixo e cidade.
Palco Praça Verde
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
18h30 Vibe Allysson Dos Anjos Música Apresentação musical de uma hora de duração com repertório autoral do guitarrista e compositor cearense Allysson Dos Anjos influenciado pelo Blues e Rock and Roll Setentista.
19h15 Eletromidivirtuáudiosamba Jânio Florêncio Música Deslumbrado, Jânio Florêncio interessa-se de maneira arrebatadora pela amplitude imbuída na música eletrônica, deparando-se com uma nova gama criativa, repleta de possibilidades. Tendo como mecanismos iniciais o samba, um violão, samplers/loops e softwares que permitem a criação, gravação e reprodução de canções, Jânio cria as harmonias, melodias e letras e as idealiza rebuscando outra forma de fazer samba.
Juntamente com seu produtor musical, Ivan Timbó (Autor do EP “Voltas” e também integrante da Sambahempclube) que, munido de mais parafernálias eletrônicas e outros instrumentos acústicos, dão vida a esse Eletromidivirtuáudiosamba. Por eles, os timbres orgânicos e eletrônicos são revisados com minúcia buscando uma melhor qualidade sonora para as texturas sonoras.
“É uma longa jornada. É preciso sentir a aceitação da plateia e verificar onde acertamos e onde devemos nos concentrar ainda mais, para um resultado agradável”, afirma o compositor.
O show de Jânio Florêncio é dinâmico, interativo e divertido. Sua voz, seu carisma e desenvoltura em cima do palco chamam atenção pela energia viva do artista e pela qualidade do espetáculo a que ele se propõe.
20h Misteriosamente as Ruas Transmitem Amores Sátiros Música Os Sátiros apresentam o show “Misteriosamente as Ruas Transmitem Amores”, que traz o repertório do disco de mesmo nome. Com um rock autoral expressivo, com influências do rock brasileiro dos anos 70, “Pessoal do Ceará”, Beatles, até bandas alternativas atuais, e letras que falam sobre experiências do cotidiano, impressões do mundo e amores que se vive e se sente, os Sátiros convidam os ouvintes a viajarem pelas mais variadas sensações através de suas melodias.
20h45 Raízes Som Nativo Música Criada há 5 anos, a banda Som Nativo já passou por diversas formações e passeou por vários gêneros musicais. A partir de 2012, iniciou a proposta de tocar reggae roots, cover e autoral, apresentando-se em várias casas de shows em Fortaleza, inclusive com bandas de alcance nacional como O Rappa, Planet Hemp, Natiruts, Ponto de Equilíbrio e Black Allien.
O show Raízes apresenta o som autoral da banda, que unem a pegada da música jamaicana a letras que tratam da realidade da nossa terra, além do posicionamento do homem em relação ao mundo.
21h45 Silêncio em Movimento Caio Castelo Música Silêncio em Movimento”, disco de estreia do cantor, compositor e multi-instrumentista Caio Castelo, apre- senta em Fortaleza um novo e promissor artista para a música brasileira. Dando vida a composições arejadas e explorando sonoridades a partir de referenciais estéticos da geração mais recente da música nacional, Caio toca dos violões à guitarra, do metalofone à bateria, além de contar com a companhia de jovens e talentosos músicos.

E, na voz sensível ao que pede cada momento, põe na rua o bloco de “Silêncio em Movimento”, conduzindo o ouvinte por entre canções plenas de melodia, ritmos e poesia. Mas também instigantes, por diferentes motivos, sugerindo novas e atentas audições. Referências amplificadas pelas opções de instru- mentos e timbres dão personalidade e atrativos próprios ao trabalho, que propõe outros caminhos ao eter- no desafio em que se equilibra a canção. sem medo dos riscos sempre entre o recente e o atemporal. Caio tem conquistado público e crítica significativos com este trabalho, com cada vez mais projeção nacional e shows bem construídos entre composições e arranjos.

22h45 Danchá Danchá Música Apresentação musical de canções compostas pela DanChá.
23h30 Carimbó Invadere Erit Mundus Descendentes da Índia Piaba Música A Amazônia é um caldeirão de diversidade cultural e, no Pará, o carimbó é uma das principais referências da música, do canto e da dança. Nos anos 70, o carimbó invadiu rapidamente a periferia das grandes cidades do norte e nordeste do país. Não demorou muito para que esta música se espalhasse pela periferia de todo o Nordeste e, para muitos destes artistas, o polo irradiador para este movimento foi a cidade de Fortaleza.
É fato que o carimbó Paraense fez sucesso em Fortaleza antes da maioria das cidades do Nordeste passou a ser escala obrigatória para aqueles artistas do Norte do país que queriam difundir seu trabalho pelo resto do Nordeste. Fortemente influenciados pelo carimbo elétrico de Pinduca, Pim, Alípio Martins e pela guitarrada de Vieira e Aldo Sena, resgatando ritmos que fizeram grande sucesso na Fortaleza dos anos setenta e oitenta, Os Descendentes tocam seus tambores e revivem Índia Piaba do Cunhaú, ancestral indígena que originou várias famílias cearenses, através do estranho ritual da pajelança, misturando Pará e do Ceará com a energia do Carimbó Punk. “Piaba é prima longe de Iracema e aqui viveu seu poema de alegria e de dor.” Sua história é a história da formação do povo cearense e suas tradições. Como resultado da maturidade adquirida, os Descendentes trazem um repertório de músicas autorais, prévia do CD “Carimbó Invadere Erit Mundus” ainda em fase de gravação.
0h15 Show da banda Siege of Hate Siege of Hate Música Em 2013, a banda cearense de rock grindcore Siege of Hate lança seu mais novo álbum ANIMALISM.
A inspiração para o nome surgiu através da ideia adotada no livro “A Revolução dos Bichos” de George Orwell, em que os animais passam a tomar conta da sociedade e viver como humanos, com as mesmas ações e ambições. Com isso, surge a reflexão acerca das
atitudes cada vez mais animais dos seres humanos. O nome remete ainda à uma “brutalidade” física e, por que não, também musical, como pedem os admiradores de um bom “rock pesado”.
E no atual contexto de Manifestações pelo Brasil, nada mais adequado que apresentar o som de ANIMALISM ao público Manifestante de Fortaleza.
1h Fartozalê Astronauta Marinho Música O grupo Astronauta Marinho, formado em meados de 2011, é um encontro de amigos, onde compor e executar músicas de caráter essencialmente instrumental tem sido o fio condutor de seu trabalho. Partindo de suas próprias experiências cotidianas, as composições são tecidas com os resíduos das vivências de cada um dos integrantes. A influência da cidade de Fortaleza e suas cores, das suas ruas e seus sons, dos quartos de apartamento, das pequenas descobertas dominicais, dos bares baratos e dos moribundos da noite, permeiam a produção da banda e dialogam com o conjunto produzido.
2h Um Samba no Ponto! Samba de Rosas Música A forte identificação com a cultura negra e a trajetória de luta do feminino na produção artística são traços marcantes e conduziram a elaboração de uma proposta musical, que se propõe a pesquisar e experimentar ritmos dessa matriz como o samba, jongo, maracatu, coco, boi, ijexá, cabula, barravento, agueré, capoeira angola.
Formado por sete mulheres musicistas, o grupo Samba de Rosas tem como ponto de partida e influencia o samba, passeando por várias vertentes rítmicas de matriz africana.
O Samba de Rosas busca, através do seu repertório, provocar inquietação contra toda forma de preconceito nos seus diversos âmbitos e incentivo as questões relacionadas aos Direitos Humanos.
Para compor a proposta, o espetáculo “Um Samba no Ponto”, a Companhia Ponto (dança-teatro) realiza uma intervenção através da dança conjugando seus movimentos com a música elaborando uma performance associada ao repertório apresentado.
A Companhia Ponto é um grupo formado por mulheres, universitárias, artistas que utilizam a linguagem dança-teatro para adentrar no universo feminino viabilizando discussões atuais quanto ao corpo, a cultura e a dança. Com direção de Tatiana Valente e Maurileni Moreira. Existente desde 2007 na cidade de Fortaleza – Ceará.
As composições autorais do grupo Samba de Rosas dão um toque singular ao repertório contagiando o público, convidando-o à dançante celebração característica dos batuques negros.
2h45 Show Água de Quartinha Água de Quartinha Música O show da banda Água de Quartinha traz novidades na readequação do uso do pífano (até então principal característica da banda) nas músicas. O instrumento regional deixa de seguir uma linha melódica e passa a surgir nas músicas como uma intervenção sonora. Outra mudança são as letras e poesias que agora estão presentes em todas as músicas. Letras estas, que buscam sempre no surrealismo explicar o nosso cotidiano e dialogando com o imaginário popular regional.
Neste novo show a banda Água de Quartinha volta com uma formação de quinteto onde guitarra, baixo, bateria, percussão e voz/pífano procuram evidenciar mais as harmonias e melodias das músicas. Mas sem deixar de fora do repertório diversas músicas regionais como Peleja, Desconserto, Formigueiro, Papel de pão além de outras sempre muito solicitadas nos shows do grupo.
3h30 Crônicas musicais de Fortaleza Jonnata Doll e os garotos solventes Música Show de rock, com projeção de video e performance de dança.
4h30 David Ávila David Ávila Música Apresentação musical de canções compostas por David Ávila
5h15 Carlinhos Nação Carlinhos Nação Música Carlinhos Nação e uma das grandes personalidades da cena reggae nacional , cantor , produtor Cultural. Idealizador do CULTURAL REGGAE em Fortaleza , formou e liderou a banda Nação Regueira com seu irmão Paulinho Nação – Compositor de grandes sucesso inclusive com música que fizeram sucesso na voz de outras bandas tais como FILOSOFIA REGGAE – LEÕES DE ISRAEL , músicas SENTIMENTO BOM – NO BALANÇO DO REGGAE – LUTE – Plena Paz etc..além de compor parcerias com grandes nomes em suas músicas tais como: Alexandre NATIRUTS – FAUZI TRIBO DE JAH – DOMINGUINHOS etc..

Hoje em carreira solo lança um CD Intitulado Carlinhos Nação LIVE IN BNB que conta com 8 faixas , sendo 05 AO VIVO – 01 RIDDIM da música A Pedra Certa – 01 bonus track da música QUE DANÇA É ESSA – 01 faixa interativa da música SENTIMENTO BOM ( hoje com mais de 3 milhões e meio de acesso no youtube ) com distribuição pelas redes de lojas PRANCHÃO SURF SHOP.

6h Batucada Manifesta!
Palco Quadra
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
19h15 Desfecho Eloá Moura Música A principal fonte de inspiração para as minhas músicas são os sentimentos. Deles foram criadas as músicas que estarão presentes no Descarrego, que surge para exorcizar as memórias que trazem tais composições. Desde paixão, amor, saudade à raiva, traição e mágoa. Partindo da necessidade de deixar para trás os momentos que se fundiram nas canções, na tentativa de se fechar um ciclo e iniciar um novo ano, uma nova fase.

Através da identificação do público com esses sentimentos, a proposta busca relembrar coletivamente as sensações e, também em conjunto, dar adeus às memórias ruins, ao passado.

20h Anderson Camelo Trio Anderson Camelo Música O show nasceu da união de dois cosmos aparentemente diferentes e apartados, um oriundo dos EUA, nascido no fim dos anos 40, de raiz predominantemente negra, que traz no bojo de seu som variações do Blues e hoje é chamado hoje de R&B, o outro, nascido no nordeste do Brasil, vindo de uma miscigenação espetacular, entre índios, portugueses e negros que nessa mistura conseguiram criar o Reisado, Maracatu, Maxixe, Tambor de Crioula, Torém, Cabalo Marinho, enfim, uma infinidade de ritmos e melodias que brotaram da mistura rica de um Brasil sertanejo.
Quem traz no balaio toda essa mestiçagem musical é o artista cearense Anderson Camelo, seu trabalho, predominantemente autoral, traz ritmos oriundos dos movimentos negros internacionais e da vasta bagagem musical do nordeste do Brasil. Os temperos que compõe esse “baião de dois” musical tem pitadas de Soul, Funk, R&B, Blues, Delta Blues, tudo misturado as raízes nordestinas em língua e linguagem.
O Espetáculo é composto por 9 canções de autoria de Anderson Camelo e executadas por seu trio além de duas músicas que mostram as influencias da banda.
20h30 Memorial da Lagoa do Urubu Encantado Airton Uchoa Neto Artes Plásticas, Poesia Recitação das poesias de Airton Uchoa Neto
21h15 Futuragora Berg Menezes e Os Coadjuvantes Música Apresentação musical da banda Berg Menezes e Os Coadjuvantes trazendo ao público sua proposta de show “Futuragora” que além do repertório da banda traz uma série de colagens de áudio feitas pelo grupo com o intuito de ambientar a temática do homem contemporâneo e a sua necessidade pelo imediato.
Desse repertório surgem canções que falam de fé, existencialismo, amor, sempre pautadas pela efemeridade dos dias atuais, tornando alcançada em timbres e sons que raspam nosso cotidiano.
21h45 Variedades Poéticas Francilangela Clarindo Poesia, Literatura Apresentação do livro “Variedades Poéticas”, da escritora cearense Francilangela Clarindo, declamação de poesia e bate-papo com a escritora.
22h Show ” Cortejo Poético Sonoro” Arice Morais Música O Show “Cortejo Poético Sonoro” é um convite ao mundo dos “cortejos”, da “poesia”, da “sonoridade”, percepções íntimas e sensoriais alcançadas a partir da associação do infinito de idéias que estas três palavras provocam na artista.

De forma autoral e criativa o espetáculo procura inicialmente chamar atenção da platéia para a importância da Poesia, como ela surgiu, surge e se materializa entre os homens no decorrer do tempo, numa visão antropológica e sonoricamente ritmada nos moldes dos antigos cortejos da corte, da sátira do mundo mágico do circo e grupos folclóricos.

Desenvolve-se com intervenções da poesia materializada da artista, num desabafo de suas vivências, experiências musicais particular, oscilando entre o amor e o ódio, o sertão e o litoral, o samba e o maracatu, o meio ambiente e as edificações, os sonhos e a realidade.

Em um processo crescente de interação com o palco, luz, músicos e platéia este show procura fluir como o próprio nome sugere, cortejando a poesia numa explosão de sonoridade, cessando em si mesmo, e crescendo infinitamente a cada nova apresentação, lugar, platéia e convidados.

22h45 Show Musical da banda The Pulse para divulgação do EP “Sobre Bares, Outdoors e a Contramão.” The Pulse Rocking Band Música A The Pulse Rocking Band vem com a proposta de divulgar o material do seu primeiro E.P “Sobre Bares, Outdoors e a Contramão”
Onde reproduzirá o seu material autoral, com o intuito conquistar novos públicos, em um evento totalmente gratuito dando possibilidade
a mais pessoas conhecerem um som que varia entre o indie rock e a mpb, aproximadamente 50 mins de espetáculo com constante interação entre
o público e os músicos, além da conscientização ao público sobre o apoio a cena autoral da cidade, a valorização do rock cearense.
23h30 Barba, cabelo e bigode Guto Moreira Performance Performance estética a partir de atividade cotidiana.
0h Plantio Oco do Mundo Música, Poesia O Bando Oco do Mundo surgiu em outubro de 2009 trazendo em sua produção musical influência de movimentos artísticos como Massafeira Livre e Pessoal do Ceará assim como o movimento da Tropicália, Cultura Urbana e a Cultura Popular Tradicional seja por contatos diretos vivenciados pelo bando ou atuando em realizações culturais referentes a estas manifestações. O grupo também traz em sua bagagem outras manifestações artísticas através do grafite (Éden,LORO vocalista), áudio visual(Djaci vocal,Severino,baixo,Dal Ocio,percussao ) , teatro de rua(Anderson,guitarra)Diones Mendes,bateria.
Com canções autorais de ritmos variados com uma mistura própria que chamamos de rock de calçada ou mais especificamente de Catingo do Ceará pela influencia de povos nativos e de matriz africana e influencia da cultura urbana.Assim da periferia oeste de Fortaleza às praças da cidade se forma um grupo que gosta de expor suas ideias através da música como também intervir através de manifestações artísticas de rua.
0h45 El hambre me consume Coletivo Hambre Música, Performance, Cinema / Vídeo, Artes Plásticas, Fotografia Valendo-se do diálogo entre a proposição artística “Baba Antropofágica”, concebida por Lygia Clark, e o trabalho músico-instrumental da banda Hambre, o experimento contempla os conceitos de vida e morte e, sobretudo, de encontro com os conteúdos abjetos da existência – a baba, como alimento dos corpos-performers e como substância sonora. Incorporando o caráter participativo da obra clarkiana, a apresentação pretende contar com a intervenção do público presente, na medida em que une a execução musical e performática que, interferindo-se mutuamente, tem o performer como corpo-recipiente das linhas dos participantes, exatamente como na proposição de Lygia, abrindo espaço para que os músicos, simultaneamente, também experimentem receber essas linhas e fluidos enquanto executam seus sons.
1h15 Diague Viado Coletivo Fuleragem Teatro Criando um vinculo com a plateia através de piadas e acontecimentos, Eriosvaldo conhecido como Babi, surgiu do espetáculo “Albergue Broder Ceará” dirigido por Carri Costa. Babi é homossexual incubada vinda do interior e tentar todo ano na cidade grande garanti o título de miss gay, no seu pocket show a plateia tem bastante interação onde a diversão é garantida.
2h Primeiro Passo – Encontro entre dois mundos irmãos Dois Africanos Música O objetivo da dupla Dois Africanos antes de tudo é Mostrar a África e desenvolver um outro olhar sobre ela, diferente dos clichês das mídias. O segundo objetivo é reunir dois povos – o Brasil e a África- cujas histórias se encontram e se completam. Enfim é também juntar o mundo inteiro e divulgar a riqueza cultural tanto da África quanto do Brasil. Por isso que escolhemos o World Hiphop,World para significar as influencias diversas da nossa música, inclusive samba, pop, rnb, axé.. etc junto com o Hiphop para que os jovens do mundo possam se reconhecer.
2h45 Estética de Rochelly Webster Macedo Dança, Performance Performance e dublagem de uma música sensual e avassaladora.
3h15 Glauco King & The West Wolves Glauco King & The West Wolves Música Barulhentos, sujos e arruaceiros, todos oriundos da zona oeste de Fortaleza, com uma postura selvagem pra justificar seu nome animal (ou seria o contrário?). A fórmula não é nenhuma novidade, claro, é apenas rock n’ roll…

Tudo começa com o fim da Bonecas da Barra, um tenebroso conjunto de glam rock conhecido na cena independente de Fortaleza, que rodou o Brasil pela turnê Mova-CE e chegou a lançar dois EP’s em oito anos de existência. Em 2012, Glauco King e o baterista Rafael Sobral saem do grupo e formam o Glauco King & The West Wolves no ano seguinte, contando com o guitarrista Luís Guilherme e o baixista Willian Ferreira.

Os wolves investem num som enérgico, explosivo e sem delongas, influenciados pelas garage bands dos anos 60 e 70. A temática das letras retrata o cotidiano do seu habitat natural, com ruas perigosas, bares-inferninhos e o sexo e a violência que caracterizam o ambiente. O show é visceral, a figura de seu frontman já é uma provocação sem ele dizer uma palavra, e não se sabe quando seu comportamento no palco é performance ou loucura genuína.

Atualmente, a banda finaliza o processo de gravação de seu primeiro EP e busca espaço na “selva de pedra” que é a cena rock. Mas, garantem os lobos do oeste fortalezense, isso não é lá um grande problema, afinal lugar de animais como eles é na selva mesmo.

4h O Dia do Seu Casamento Leite de Rosa & Os Alfazemas Música No início de setembro de 2013, a banda Leite de Rosa & Os Alfazemas lançou seu primeiro trabalho completamente inédito. O EP “O Dia do Seu Casamento” conta com 6 músicas (sendo uma delas bônus track) que misturam os dramas da música cafona a uma pegada mais moderna.
ManiFeira
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
18h/6h El Laricon – Culinária Vegana Yasmin Marques Comida Vegana O El Laricon é uma marca de comida vegana, que surgiu há dois anos e, desde então, participa da cena gastronômica vegetariana de Fortaleza em eventos culturais e alternativos da cidade.
Em respeito aos animais, a cultura vegetariana e ao meio ambiente, não utilizamos nenhum tipo de produto animal (como leite, ovos e queijo), assim como damos preferência aos produtos orgânicos e locais.
Fugindo um pouco do conceito natureba de ser, oferecemos uma alimentação saudável e leve, porém diferenciada e divertida, como hambúrgueres, salgados e doces. Tudo deliciosamente sedutor, visando alcançar além do público vegano/vegetariano, também pessoas abertas à novas possibilidades gastronômicas.A intenção é disponibilizar o tradicional cardápio do El Laricon, baseado no conceito de fast food, no seu sentido de agilidade, mas visando uma comida saudável proveniente dos ingredientes utilizados e no modo de preparo. Serão vendidos lanches como: salgados, hamburguês, burritos, tortas, brownies e outros doces.

A proposta é atender de forma rápida e saudável o público que se concentra na Praça Verde, a partir das 17h até 1h da madrugada.

VEGETALANCHE RESTAURANT INTINERANTE coletivo toren Cinema / Vídeo, Poesia, Literatura, Venda de produtos artísticos autorais, venda de alimentação vegetariana (vegana) troca e venda de materiais libertarios a vegetalanche restaurante itinerante e uma das atividades proposta pelo coletivo toren conta com uma banquinha de venda de lanches e comida vegetariana (vegana) sucos naturais toda comida saborosa e livre de qualquer tipo de tortura e ainda uma banquinha de venda ,troca e empréstimos de materiais libertários: literatura e produções marginais,zines,putoezias,camisetas, cds e dvds (musicas videos documentários produzidos no real estilo d.i.y. ou faça você mesmx !) distribuição de informação sobre vegetarianismo e veganismo
Exposição Apo Pádua Venda de produtos artísticos autorais Há 13 anos trabalhando com couro tento unir o rhiper com chique o luxo com o alternativo, além de bolsas, biju, acessórias e outros. Como também decoração de ambientes faço de minhas ideais um misto de tudo que se pode usar com couro, madeira e sementes. forma de expor uma mesa!
Filtros dos sonhos, brincos de pena e escamas Roberta Brito Venda de produtos artísticos autorais Venda de produtos artísticos autorais
Arte têxtil autoral Caixinha Do Vitório Venda de produtos artísticos autorais Nossa proposta é um mix de madeira com tecido: banquinhos, banquetas e bancos; porta retratos customizados; quadros de parede personalizados; cachepot para decor; baús de madeira com tecido.
Venda de cadernos artesanais Aondê Cadernos Artesanais Venda de produtos artísticos autorais Aondê Cadernos Artesanais é um ateliê de encadernação artesanal que propõe a união do artesanato e da sustentabilidade.
Venda de artesanatos INTORPECIDADE Venda de produtos artísticos autorais Intorpecidade é a realização de dois artistas visuais, Caetano Matos e Iasmin Matos, dessa junção eles desenvolvem um trabalho de resgatar a memória de Fortaleza, a partir de fotografias, e assim registrando o fluxo continuo da cidade, essas fotografias são impressas para dar forma aos objetos idealizados por eles, que caminha pela linha de cadernos, máscaras, pintura em tela, estamparia de camisetas, entre outros. Todas as peças criadas por eles são únicas e exclusivas.
Economia Criativa e o Manifesta Guarderia dos Meninos Venda de produtos artísticos autorais A Guarderia dos Meninos tem como objetivo a comercialização de pequenos itens artesanais (imãs de geladeira, bottons e caixinhas de fósforo) a um preço relativamente baixo e de fácil acesso.
Ananse Pryscilla Rodrigues Martins Venda de produtos artísticos autorais A Ananse produz bolsas, carteiras, porta-moedas, cadernos, cadernetas, brincos, pulseiras tendo como base materiais reutilizados como caixas tetra pack, papelão, retalhos, etc.
Arte em camisas EFEITOS VISUAIS arte alternativa Artes Pláticas, Venda de produtos artísticos autorais EFEITOS VISUAIS foi criada por David Cartoon e Karyny Góes com a proposta de inovar com peças de estilo alternativo.

Produzimos desenhos que fluem totalmente de nossa imaginação.Todas as camisas são pintadas à mão.Trabalhamos também com ilustrações e quadros com as nossas artes. Com isso, queremos apresentar o nosso trabalho e nos tornar amigos de pessoas que apreciam e valorizam a arte como um todo.

Nossa exposição se dá através de varal onde serão expostas as blusas e mesa para exposição de quadros.

Rascunha-me Dilly Artes Pláticas, Venda de produtos artísticos autorais Expor sketchbooks, bordados e egobags. Onde os aketchbooks são totalmente artesanais. Os bordados são feitos em bastidores. E as egobags são pintadas à mão ou por técnica do stencil.
Decoração de Ambientes … João nogueira Filho/Um quarto de Arte Venda de produtos artísticos autorais Decoração com luminárias em pvc… Julia Limaverde me convidou para fazer a decoração do Manifesta esse Ano. lembrete …
Bazar| Feira | Exposição Thales Angert Venda de produtos artísticos autorais Produtos artesanais e autorais desenvolvidos pelo designer Thales Angert

mix de produtos:
bolsas e mochilas
acessórios
roupas masculinas e femininas
artigos de decoração

Música Rabiscada Patrycia Rodrigues Venda de produtos artísticos autorais Exposição e venda de quadros de tamanho A5 de ilustrações inspiradas em frases de musicas variadas com utilização de técnica mista (nanquim, aquarela, lapis de cor, e grafite)
Arte tambores Arte tambores Venda de produtos artísticos autorais A Arte Tambores vem com a proposta de apresentar ao público produtos feitos com base na natureza. sementes, fibras e pedras são a base para o nascimento de peças originais, criativas e vivas em sua essência. São tambores, rabecas, colares, brincos, anéis tudo fruto do natural.
Nuvens Caio Castelo Artes Plásticas, Poesia, Literatura, Venda de produtos artísticos autorais Exposição e venda de quadros com poemas concretos.

Caio Castelo escreve poemas concretos, nos quais forma e conteúdo se complementam, despertando sensações análogas a partir de diferentes estímulos visuais e soluções poéticas.

O nome desta série é “Nuvens”, numa referência ao exercício de enxergar, nas nuvens do céu, formas que lembram ora animais, ora objetos, paisagens, etc. Por meio de versos escritos milimetricamente para terem o tamanho certo criando cada contorno necessário para formar a imagem, é nesse trabalho de gestalt que se baseia tanto o processo de criação. O resultado final gera um híbrido entre a poesia e as artes plásticas.

Textos em forma de balão falando de liberdade, de saudade escrito na forma de uma calcinha, de vício na forma de uma garrafa, de silêncio na forma de um violão, etc. são exemplos desta série

Técnica utilizada: impressão e desenho
Quantidade: 9 obras
Dimensões: 21 x 21 cm e 17 x 30 cm
Forma de expor: mesa e varal

Compra Aí! Célio Celestino, Paloma Pajarito, Gutto Moreira, Fenelon Neto Artes Plásticas, Venda de produtos artísticos autorais Obras em tamanho 21 x 29,7 aproximadamente: Colagens (25), Técnica Mista/Gravura (15).
Camisas Personalizadas (30).
Nó Cego Encadernações Nó Cego Encadernações Venda de produtos artísticos autorais Trabalhamos com agendas, blocos de notas, álbuns de fotos todos feitos manualmente com material reciclado. Além deste, vendemos também zines e reprodução de obras de produção autoral nossa e de diversos artistas da cena cearense.
ARTE VINIL ARTE VINIL ARTESANIA Venda de produtos artísticos autorais Relógios de vinil e camisetas em estampas voltadas pra ícone, pop, arte, trazendo a nostalgia e do pop arte
Nelli presentes Anelice Custódio Artes Plásticas, Venda de produtos artísticos autorais um pranchão de 1,20 x 2,20, duas cadeiras plásticas
vestindo-se com arte. Camiseteria da Érika Venda de produtos artísticos autorais Venda de camisetas e vestidos pintados à mão, desenhos autorais e adaptação de outras obras.
Espinho e Fulô- artigos em Couro Espinho e Fulô Artes Plásticas Exposição
Alimentação Vegana Veg Gourmet Alimentação Vegana Vender sanduíches do tipo hambúrguer do tipo 2 sabores, suco 2 sabores e sobremesa pavê 1 tipo . Alimentação vegana sem nenhum produto de origem animal.
Pátio da Caixa Cultural
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
14h às 20h A Viagem do Herói Elano Chaves Fotografia Estudo a linguagem da Performance e desenvolvo uma pesquisa com base nas cartas de Tarô e viajarei o mundo colhendo informações sobre o corpo, o espaço, os objetos, os outros, o oculto, as coisas e a espiritualidade. Imanência.

Para ir é necessário deixar algo, para dar o próximo passo precisamos fazer um grande sacrifício (XII – O ENFORCADO) e o que mais me prende na minha cidade no momento são a minha casa e meus pertences. Iniciarei o registro, portanto, com a desapropriação da casa e dos objetos.
As imagens trazem o corpo, objeto e espaço com a ideia de Coisa e divulgam o projeto e os itens a serem vendidos.

Com a venda de tudo, seguirei o rumo sem ideal de parada.

Cidade – luz e sombras Natalice Garcia Fotografia A angustiante vida na cidade faz com que esqueçamos a beleza da natureza mesmo com a correria do dia-a-dia. Há uma beleza na incompletude de uma cidade grande como Fortaleza. As fotografias são recortes de vários momentos, seja na calmaria ou correria, de uma vida cheia de afazeres onde a rotina prevalece perante belezas que nos são colocadas todos os dias, basta percebê-las.
Memórias de São Pedro Luana Sant’ Anna Fotografia Ensaio fotográfico realizado no Edifício São Pedro, conhecido por Iracema Plaza Hotel, primeiro hotel de Fortaleza.
–O chão que presenciou os passos dos ostensivos sapatos, hoje, guarda desse tempo somente as marcas. As paredes que olhavam com curiosidade os estrangeiros, agora olham com tristeza a decadência. Um prédio que contribuiu com o nascimento da Av. Beira-Mar e que hoje é apenas mais um perdido entre tantos outros. De um luxuoso hotel a um prédio em ruína. As marcas nos narram histórias sobre o Edificio São Pedro e o Iracema Plaza Hotel e os seus 62 anos de memórias.
14h30 Abstammung Cia. Flor de Ayo Performance, Instalação Abstammung (ancestralidade em alemão), trata-se de um trabalho que evoca “ELEMENTAIS” (elfos, gnomos, fadas, etc.) e forças da natureza, proporcionando pelas estruturas corporais do performer e a permanência do mesmo no local, estados energéticos e sensoriais que se relacionam com o ambiente e com as pessoas, permeando um universo espiritual e místico.
15h30 Desnen Suzy Élida Lins de Almeida Performance Trata-se de uma ação performativa que acontece em espaço urbano, em área descoberta.A partir do texto dramatúrgico Nen e o Bando, duas atrizes-performers, com presença clownesca, instauram um campo de disputa onde a bola é o elemento mobilizador da ação cênica. As fronteiras, sempre móveis, instaladas pelo jogo, conduzem ao desterritório Nen.O público é também elemento de construção desse desterritório.
16h Transversão Grupo Artisticamente Teatral Performance Transversão é uma intervenção cênica nascida de um inquietação artística para mostrar seus verdadeiros conceitos e realidade do mundo do transformismo que igualamos a arte.
16h30 Milk Harlem Shakespeare Victor Hugo Teatro, Performance Mais uma vez sendo comandados por alguma coisa, há de se perceber isso… Na onda dos memes, onde podem residir as poesias de Shakespeare? Milk Harlem Shake is pearl: um pouco de leite, sorvete, memes e poesia renascentista.

Através da facilidade dos memes da internet, aqui, uma instigação sobre a cultura de massas de hoje a cultura de massas de outrora. Na velocidade das informações, as artes perdem seu valor de contemplação e assumem um valor puro de entretenimento. Então, por que não podemos usar um meme da internet como forma de chegar nas pessoas com poesias de Shakespeare, um dos nomes mais forte da literatura inglesa e mundial?
Também é necessário acordar para as movimentações e não-movimentações políticas do nosso país. Como perceber isso compartilhando o Quadradinho de oito na internet? Já fomos para a rua, agora estamos em casa de novo?

17h Cravos Dançam Rosas Thiago Pinheiro Braga, Luiz Otávio Queiroz, Bruno Gomes, Fabiano Veríssimo. Dança O trabalho utiliza o titulo como uma referência poética ao trabalho Rosas Dast Rosas da coreógrafa belga Anne Teresa de Keersmaeker para propor um passeio do universo masculino sobre o universo feminino.
17h30 Para quê C.F.? Expedito Oliveira Ramos Performance “Para quê C.F.?” é a renovação de uma performance artístico/política feita no Curso de Direito da Universidade Regional do Cariri no ano de 2012 (http://www.youtube.com/watch?v=SLXY_qHE5q0) .

A referida performance à época foi pensada como uma forma de micro-manifestação contra decisão judicial que ordenava a retirada do Índios Guarani Kaiowá de suas terras, infringindo seus direito “assegurados” pela Constituição Federal.

A Re-novação da performance busca causar impacto/reflexão/raiva/curiosidade/crítica, em fim, sentimentos não corriqueiros na vida corrida de muia gente.

Será feito um discurso aberto, sem pré-textualização e espontâneo a cerca das violações de direitos que vêm sendo cometidas pelo nosso “Estado Democrático de Direto” em todo o país, e mais intensamente de junho pra cá. A medida que as violações vão sendo citadas partes da constituições que asseguram tais direitos violados será queimada. Fazendo assim um paralelo entre o fato (violação do direito) e o direito (artigo da constituição). O público presente será convidado a interagir ajudando a queimar a constituição.

Por fim, com o último pedaço de constituição que sobrar será ascendido um cachimbo da paz com fim de espantar os maus espíritos que trazem tantos pré-juízos à população indígena e não indígena que sofre com as atrocidades do Estado e celebrar a PAZ. (o fumo do cachimbo da paz é uma tradição indígena que busca exatamente afastar espíritos do mau.)

18h Ressurreição Morte Vida Centro de Experimentações em Movimentos – CEM Dança, Teatro, Performance, Instalação, Poesia O grupo Cem (Centro de Experimentações em Movimentos) criado em 2002 atua na cena cearense, abordando questões que aproximam-se das relações pessoais como material de composição para a cena. Em maio de 2013 o grupo completaria 11 anos, mas não houveram comemorações. A presença, o movimento, o contato, o outro não foram possíveis.

É com essa inquietação que iniciamos uma vontade de estar novamente juntos, dançando. A dificuldade de viver em grupo, de ser um grupo e também, até que ponto, a relação entre a vida e arte se separa ou não.

Utilizando a ideia de ressurreição, morte e vida como disparador para a composição, em formato instalativo, compartilhamos de trás para frente a experiência de reafirmarmos juntos um compromisso. Propondo uma reutilização do sentido contido nas peças coreográficas do grupo e como isso modificou durante o tempo, além do surgimento do novo.

É no novo que Ressurreição Morte Vida se dá.

18h30 Intervenção BondeFesta!
19h15 Deslocamentos Descoletivo Performance, Cinema / Vídeo, Fotografia, Instalação “Deslocamentos” é um ensaio em fotografia e vídeo que aborda o corpo como personagem principal.
Composto de cinco vídeos, com duração de 2 minutos cada um, apresenta situações cotidianas de deslocamentos. Os vídeos são integralmente produzidos pelo Descoletivo, que pouco se utiliza de edição de imagem ou de iluminação auxiliar, por registrar e poetizar o cotidiano do corpo com o mínimo de interferência externa possível.
“Deslocamentos” conta ainda com a exposição de frames extraídos dos vídeos, apresentados como fotografias – sendo o cotidiano nada mais que uma sequência intercalada entre o estático e o dinâmico, o estar e o deixar.
Para o Manifesta, “Deslocamentos” será organizado da seguinte forma: os frames fotográficos serão expostos em tamanho 30 x 40 colados em placas foan board e suspensas em corredor por fios de nylon nas vigas de madeira no jardim da Caixa Cultural. Os vídeos serão projetados no espaço entre porta e janela da parede externa do local, paralelo ao corredor, criando uma atmosfera de confrontamento entre estático e dinâmico, vídeo e fotografia.
Rua
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
17h reza de rosas… Juliana Capibaribe Performance (reza de) rosas no quarteirão’.

Consiste em dar voltas em um quarteirão ou trajetória demarcada, levando uma rosa na mão na hora crepuscular, de 16:30 à 18h.
Pretende-se convidar os caroneiros do ônibus Bonde festa, para essa ação, numa parada de assistir o pôr do sol.
Essa reza não se associa a nenhuma doutrina religiosa.
Não se doutrina o movimento : de como vai ser levada essa rosa, ou a interação que se terá com ela,não se direciona o sentido da caminhada.
As pessoas serão presenteadas com rosas brancas, amarelas, vermelhas e rosas; e convidadas a participarem da ação de caminhar da reza…
Assistir o pôr do sol( sugiro próximo à ponte velha) podendo ver / assistir a ‘( reza de) rosas no quarteirão’, por si, é participação…

Uma egrégora de energia a ser criada. Um espetáculo no cotidiano para os costumes das cadeiras na calçada.. uma beleza para os lugares das quebradas, quebrados partidos. Beleza , reza.. intervenção, performance reza. de rosas e de cores.. no espaço do cotidiano.
É isso.

Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
18h Acontecências EmFoco Grupo de Teatro Teatro, Performance SINOPSE:
Acontecências são encontros e desencontros livres. Formas desenformadas, trânsitos de um fluxo pleno, que vai de encontro ao devir.PROPOSTA:
A partir do treinamento vivenciado em grupo com o View Points, teremos manifestações livres nos locais do festival. Serão acontecimentos não anunciados, formados pelos atores/performers situações aparecerão junto ao público que acompanha o festival. Serão 4 horas, 40 minutos e 40 segundos de ação, espalhadas nos variados espaços do festival e que terá como principal proposta a quebra do tempo/espaço junto ao ambiente das apresentações.
18h45 Poemas Cruzados Artur Dória Mota Instalação, Poesia, Intervenção Urbana “Poemas Cruzados” é uma obra artística de cunho instalativo e consiste em uma materialização da metáfora do poema de Carlos Drummond de Andrade, “A Procura da Poesia”. O objeto se estabelece a partir de um jogo de passatempo conhecido como “Caça Palavras”, no qual as pessoas devem procurar por palavras específicas, conhecidas por quem joga, escondidas dentro de um quadro repleto de letras aleatórias.

A estrutura deste jogo obedece as mesmas regras do jogo original, mas ao invés de palavras soltas, as pessoas devem procurar por um poema inteiro. Um poema original, escrito pelo autor do trabalho, será colocado dentro de um quadro de letras e as suas palavras estarão espalhadas aleatoriamente. O poema, no entanto, não será revelado, ficando aberta a possibilidade para a criação (montagem) de novos poemas.

O objetivo é trazer de forma lúdica, para toda e qualquer pessoa que esteja disposta a tentar, a experiência da construção de uma poesia. Contudo, não temos a pretensão de formar poetas. Queremos mostrar o quanto a poesia pode ser divertida. Fazer com que as pessoas possam mergulhar em um universo de palavras e que possam perceber as suas múltiplas possibilidades de interpretação e combinação.

O jogo será apregoado em muros em pôster lambe-lambe em vários dos espaços onde acontecerão as atividades do Manifesta. Ao lado dos jogos estarão disponíveis folhas de papéis A4 e canetas para que as pessoas possam transcrever e combinar palavras, versos e montar os seus poemas.

19h15 Aves livres Eden loro Artes Plásticas, Poesia O trabalho é a continuidade de uma proposta de grafismo e poesia poema de muro,ou poesia gratuita .intervenção urbana e poesia cotidiana .
19h45 Mobaili Cleomir Alencar Música, Dança, Performance Conta com dispositivo Mó baili , que é uma bicicleta sonorizada que percorrera o entorno da praia de Iracema
21h Tentativas Para Parar o Tempo Dario Ferreira de Albuquerque Performance Uma tentativas para parar o tempo. Um grupo de jovens artistas de com o objetivo insólito brecar o tempo, gravar o acontecimento presente de uma cidade sem memória, tecendo o agora, travando diálogos com a cidade do não-lugar que é Fortaleza. Em em deslocamentos e propondo trajetos, entre clicks e fleches fotográficos há uma tentativa de tencionar o que seria o espetacular e simples.
22h A realidade grotesca e a esperança entre as lendas Emanuel Souza da Silva e Antônio Geovane Queiroz Artes Plásticas Um painel Graffitado cujo o propósito é mostrar figuras lendárias do sertão e de outras culturas de estética “grotesca” bizarra com ambientação fantasmagórica semelhante a paisagens interioranas da seca, em meio a este local, seres fantásticos habitam a região, mas com uma pequena esperança de vida em alguns pontos deste painel (uma muda de árvore em meio ao chão rachado, uma fonte d’água próximo a um pequeno rochedo), uma chance em meio ao caos. com predominância do escuro na grande parte da obra, vermelho que destaca algumas figuras e o verde da esperança em alguns fragmentos. Um diálogo entre ambas as partes, o grotesco que lembra alguns personagens representados por Ricardo Guilherme.
0h “Já brincou de boneca?” Gabriel Castro Performance “Já brincou de boneca?” consiste num passeio-performance com algumas “tarefas” a serem cumpridas pelo público-tripulante… O inicio se dá num lugar pré-combinado anteriormente (com o ator/performer por telefone ou no caso de um Festival/Mostra, com a produção do mesmo). Lá estando, o ator/performer caracterizado a “la comissário de bordo” entregará ao espectador (um ou no máximo dois por vez) uma ficha com algumas instruções (uma espécie de mapa) e uma maleta/kit. A partir desse momento o espectador, agora tripulante, terá alguns minutos (entre 10 e 15) para explorar esse kit num lugar reservado ou não, vai depender de como ele se sentir mais à vontade. Dando prosseguimento deverá ir ao encontro do ator/performer, agora “montado”, num outro ponto descrito no cartão de instruções e continuar a viagem, agora na companhia de uma “boneca” em tamanho natural, vivenciando uma experiência única, de encantamento, estranhamento ou tudo junto e misturado. O fim se dará no ambiente de um bar onde a “boneca” despedindo-se de seu “partner” o deixará para que possa apreender tudo que foi proposto e vivenciado.
Praia
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística Descrição
8h O Tempo Narcélio Grud, Marcelle Louzada e Julia Limaverde Instalação Performativa O tempo é uma mulher que passa, vestida de vermelho.
7h Afoxé de Todos Nós – da praça verde ao mar Coletivo de Ogans de Fortaleza Música O afoxé que vive a nova manhã do festival. espontâneo bem bolado…
diferentes ogans de diferentes casas de santo, reunidos pra tocar e
cantar juntos. cânticos de casas diversas. mesmo batuqueiros que tocam
na linguagem do festival. a diversidade do povo de santo de fortaleza.
depois de seguir no cortejo até a praia, lá estará o “afoxé de todos
nós”. como se toda a noite fosse um preparado a ser oferecido à yemanjá,
com flores e tal. ritual de oferenda. da cidade, da gente, do
ManiFesta! para o mar, para os céus. como se toda a noite fosse um
preparado a ser oferecido
Bondefesta
Hora Apresentação Nome Artístico Linguagem Artística  Descrição
10h30 Artroca Clownciência Música, Performance, Artes Plásticas, Instalação, Circo O projeto “Artroca” tem como objetivo realizar uma intervenção de clowns que resultará na criação de uma instalação com qualquer tipo de material criativo oriundo de uma troca feita entre o grupo Clownciência e o público do ManiFesta.
Através da expressão corporal e de boas doses de improvisos os membros do Clownciência incialmente irão convidar o público do ManiFesta a participar da intervenção trocando objetos, peças de vestuários, materiais reciclados, pinturas ou simplesmente conhecimentos por abraços, carinhos, olhares…
Em seguida, envolvidos em um ambiente musical, os clowns oferecerão suas habilidades artísticas para transformar esses materiais utilizando pinturas, colagens e técnicas afins e compor uma instalação coletiva e consciente que simbolize o lado lúdico, as cores e a beleza da vida.
11h30 Intervenção Urbana Lúcio Flávio Gondim Artes Plásticas, Fotografia, Manipulação Digital Exposição/Intervenção de infogravuras na rua ou em espaços pré-selecionados, por meio da técnica de lambe-lambe. Poderiam ser um número determinado (dez, por exemplo) de colagens com tamanho A3.
14h Afoxé Acabaca Afoxé Acabaca Orá Sabá Omi Música Fundado em 13 de maio de 2006, com intuito de divulgar as religiões de matriz africana e lutar contra todo tipo de preconceito, o Bloco de Afoxé Camutuê Alaxé-ACABACA vem preencher um espaço no meio cultural cearense e se propõe a ser mais um componente na diversidade cultural do Ceará. Embalado pelo toque dos agogôs, agbês e atabaques, o Acabaca canta e dança para os Orixás e para todos aqueles que admiram, respeitam e se identifica com a cultura afrobrasileira. O grupo artístico do Afoxé ACABACA para shows e apresentações de palco (pequeno, médio, grande), traduzindo com fidelidade a nossa manifestação, é formado por cerca de 18 integrantes, e já virou tradição nosso desfile no Carnaval de Rua na Av. Domingos Olímpio.
15h30 DJ Jânio Florêncio Jânio Florêncio Música O DJ Jânio Florêncio aposta numa performance diversificada buscando atingir seu público com inusitalidade e originalidade. Seu vasto acervo permite uma relação direta com aquele que o ouve trazendo grandes sons do passado bem como novas tendências sonoras.
17h Noiada Companhia Pã de Teatro Teatro, Performance Noiada, uma mulher de idade indefinida, passageira de um ônibus que circula grande parte da cidade, conversa com desconhecidos enquanto contempla o trajeto através da janela. Ao fundo, uma rádio veicula repertório popular heterogênio. Ao longo da estória, a personagem esculhamba a tudo e a todos…
17h30 Humanos Enlatados Macaco Performance Pegando os moldes mais caretas de tentar convencer pessoas num ônibus a comprarem algo, seja artístico ou de plástico, seja apenas para ouvir uma mensagem em troca de uns trocados, este que vos fala, que já foi de tudo, de fiscal de terminal de ônibus à macaco urbano, traz uma performance inédita onde os humanos são questionados:
PQ ESTÃO TODOS ENLATADOS?
18h SEPASSANDO rec soundsystem Ivan Timbó DJ SEPASSANDO rec soundsystem colocando um som pra galera
18h30 Videomapping Itinerante Valentino Kmentt mapping Projeções itinerantes pela cidade
19h Piragem etnográfica do complexo: possibilidades outras de existência – um corpo como campo de forças atravessado por mil correntes e tensões No barraco da Constância tem! Performance Com o uso dos rebuscamentos encontrados nas linguagens artísticas, iniciamos uma pesquisa dos termos utilizados em discursos e que entram no vocabulário usual do performer. Com isso, lançamos questões sobre o que é a contemporaneidade ou como estão se usando dela como entidade de forças que movimentam um pequeno grupo de conhecedores.

Será necessário ter um cerco de conceitos para assistir uma criação artística?

O desabrigo e a desorientação do público com a arte contemporânea provoca o afastamento deste. Diante disso, buscamos no funk uma possibilidade de mistura entre erudição e popularidade, onde a criação de modelos poéticos e a indicação para formas, materiais ou técnicas pré-estabelecidas sejam profanadas.

Através de composições irreverentes, os intérpretes se propõem a dançar, cantar, improvisar e ralar com a tcheca no chão, buscando interação com todo o público – seja ele especializado ou não – através dessa proposição anti-artística.

20h DJ Famoso Ricardo Lisbôa música Vai dar certo! DJ Famoso vai colocar um som que vai chacoalhar o bonde!
22h Bomba no Bunzum Glauco Leandro – DJ Discoteca Offiline A Discoteca Offline é um projeto do músico Glauco Leandro que apresenta uma nova proposta de DJ Set’s em espaços da cidade. A seleção de músicas não obedece a estilos, gêneros ou territórios específicos. O encadeamento de Fonogramas de diversas épocas propõe uma atmosfera onde o que menos interessa é uma ordem cronológica ou histórica rígida na escuta das gravações. Aqui o fio condutor mais importante, para uma boa escuta, é criar novos climas a partir da consideração das dinâmicas dos arranjos, dos timbres, dos gestos e temas musicais dos artistas incluídos no repertório. De música brasileira até a norte americana, passando por franceses e ingleses.
Seria uma Arqueologia da recente era do Disco`a compor novas maneiras de estar ? Que tal bons encontros ?

Esqueça a História, invente a sua e esteja presente.
Músicas para respirar e sorrir.

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Assunto

Sua mensagem